Eu tô Selvagem hoje...

Minhas Divagações de hoje vão pra ela: a injustiçada do vale literário. A autora que deveria ganhar o posto de Amazonas do Centro-oeste. A fofínea que sempre divulga as amigas de coração, nunca exige nada em troca e simplesmente tem uma das almas mais puras que já conheci nesse meio. 
Mari Sales. Vulgo, Maricota. Só eu posso chamá-la assim... é pq ela é tão gostosinha que rima o nome Mari com ricota, que é um queijo finérrimo e elegante. Uma autora muito delícia de ler, fácil de digerir e apetecível à dieta meio light.
Maricota escreveu uma série que eu, particularmente, já peguei forte. E digo peguei forte no sentido amplo da palavra, pois tive o prazer de revisar as versões finais que estão disponíveis no Amazon. Basta conferir se meu nome consta na ficha catalográfica e verão que não estou mentindo... hehehehe...

Logo, eu sou meio que dona do Doc, do Victor e do Lorde. Desculpem aí.

Então... a viadinha escreveu um universo MC. MOTOCICLISTAS fodões. 

*Mas ela não se ateve a isso. Não, senhoras e senhores... essa cabrita foi mais longe. Ela criou, no primeiro livro, uma mulher para disputar o posto de PREZ do SELVAGEM Moto Clube.

A Valentine é tipo fodona, daquele naipe de guria que não engole muito as coisas, daí ela vê o pai definhando em uma doença que vai levá-lo embora em breve. O pai é, até então o presidente do MC referido. 

A guria na verdade mora em outra cidade, mais afastada do pai, com quem sempre teve uma rusga, mas quando percebe que ele está mal, resolve dar uma chance a uma possível reconciliação. 

Ela chega ao MC do papa e tadaaaaaaaam... dá de cara logo com o médico gostoso que cuida do paizão. O Doc. EEEEITAAA, homi delíciaaaaaaaaaa... pelamor de qualquer coisa. Pegava fácil. Certeza. Tanto que peguei. Deixava ele me aplicar injeções de hora em hora. Aplicar compressa, dar comprimidos na boca... o que ele quisesse. Hehehhehe...

Enfim... ele também é membro do Moto Clube e tem o maior respeito ao pai da Valentine. 

E pasmem... a maioria dos membros do Clube sempre achou que Valentine, herdeiro do Prez, fosse um macho. Imaginem o choque brutal quando eles testemunham a chegada de um mulherão à bordo de uma motoca. 

Bom... está montado o palco aí. 

O pai da Vale ( intimidade) diz a ela que a presidência do MC será dela. Eitaaaaa.... mas alguns membros não concordam de jeito maneira. Claro, bando de machos fedorentos, que cheiram mais a gasolina do que tudo, cigarro ( tudo bem que nem todos fumam...), graxa, perfume barato das vadias do clube e outras coisas inomináveis que prefiro nem comentar.

É óbviooooooooooooo que pinta um clima bem intenso entre a Valentine e o Doc. Preciso falar sobre isso?

Claro que não.  Por favor, né? Eu shipei o casal desde o início... se a Mari tivesse feito uma treta monstro, eu era capaz de caçar essa rapariga e dar na cara dela com um livro de capa dura.

Enfim... o mais legal de tudo? Tramoias. 

Dentro do MC tem uns malas sem alça que não aceitam Valentine como presidente. Porque obviamente o Vice-pres quer assumir a poha toda. E o cara é um pau no rabo, porque arma um paranauê louco lá, dá um bafafá, envolve outro MC, manooooooooooo... põe ação nisso. 

Há controvérsias de algumas leitoras que acham que a Mari não deu uma nuance dark e apelativa ao MC. Não explorou detalhes daquele 1% da bandidagem e os fez com características de Sons of Anarchy.
Cara... eu totalmente amei. Selvagem Moto Clube é o tipo de clube que eu entraria de boa, tomaria um trago de coca-cola com Greygoose e olharia pra lateral, pra ver se tinha um motociclista filezudo à toa... Aproveitaria e daria uns tabefes nas kengas, porque odeio as vadias desses clubes. Tipo... ódio mortal mesmo. 
Beleza... o livro termina com Valentine no poder. Ela assume a parada e tals.

*Daí Maricota parte para o livro 2, onde vai explorar o livro de outro MC, dessa vez do Aranhas Moto Clube. Aí, mano... vocês vão conhecer o Victor Aranha. Que vai tecer uma teia melindrosa ao seu redor e fazer vc gostar dele, mesmo sabendo que ele é meio mau-caráter e já praticou atos ilícitos. 

Só que o cara tipo nem tá mais a fim daquela vida. Ele está meio que cansado e tals, já o irmão mais novo dele, tá entrando de sola no mercado negro e se afundando nas merdiiiiieeeenhas criminosas. Se envolveu com gente tosca e tals. 

Nesse ínterim, ele precisa da ajuda de uma advogada fodona e vai atrás da Rachel, amiga da Valentine. 

Bom... tenho um estranho caso de ódio com essa viada.

Não sei explicar. Xinguei muito essa mocinha enquanto estava revisando. Um estranho caso de ódio enrustido. Pode ser que tenha algo a ver com o fato de que eu estava querendo o Victor pra mim... e ele estava totalmente na dela. Sei lá... isso se chama inveja? Não. É porque ela estava meio que refutando o coitadinho que só tinha amor pra dar. 

Oxi... que palhaça. O cara lá... todo querendo se aconchegar com a criatura do pântano... e a mulher se esquivando. Vontade de pegar o sapato Loubotin dela e enfiar no ouvido esquerdo pra retirar pelo direito.

Enfim... o romance engata. A ação também. O irmão do cara se mete numa encrenca monstruosa, com gente do mal. Ocorre um sequestro muito doido. É aquele clima de tensão. 

Mocinho termina com mocinha no final, obviamente, porque se fosse o contrário o que aconteceria? A Mari apanharia tanto que nem lembraria o nome com o qual foi registrada em cartório. E aqui, vejam bem... hehehehe... eu, essa que vos divago, sou agraciada lindamente com um personagem pra chamar de meu. Ops... ainda não foi um macho alfa, mas o personagem é tipo... hummm... como direi... EU! Yay! Porque a Mari fez uma Martinha muito fodona, presidente de um MC ( tô crendo que sou a presidente porque sou fodona assim... opa... eu não, ela... a personagem...). Mas veja... tem os cabelos roxos e é toda zoada. Mano... muito eu. Hahahhaahha... única realidade que não bate. Não piloto uma moto sinistramente massa como a dela. 

*Por fim, Maricota nos presenteia com o último dos romances dos Motoqueiros delícia. Dessa vez, o Piratas Moto Clube. Porque a Mari não é fraca. Ela foi lá e criou logo três MCs. Espera. Quatro. Não se esqueçam da Martinha. Ela é líder da Vênus MC. Um Moto Clube composto em sua maioria por mulheres massa demais...

Aí, aqui temos a outra amiga do trio Valentine, Rachel e Nina. Essa última é sócia de uma empresa de segurança e faz a proteção ao irmão da amiga Rachel, Richard, cujo qual apelidou de Lorde. Ele é um advogado influente, como a irmã, e no livro anterior, do Aranhas MC, teve o escritório detonado, estava em perigo, por conta do caso contra o vilão sinistro que a Mari criou.

Pois bem... essa Nina, toda marrenta, curte o maior crush pelo Lorde, digo, Richard. Este, por sua vez, é uma alma meio perturbada, já que muitas vezes é dado a ataques súbitos de pânico e fica fora de si. 

Então... Nina é uma loira sexy e atrevida que opera à base de adrenalina. E ela quer o Richard. Porque tem certeza de que ele vai agitar altos hormônios do prazer no seu corpinho.
Richard é relutante... porque ele não acha digno... Nina não dá mole... cai matando.

Os dois se pegam.

E mano... vou ter que dizer... tu vai pensando que o Lorde é um lorde fraco e na verdade ele é... UAU. Toma-lhe Estamina, mano.
Vejam bem... Lorde testemunhou, no seu livro, o assassinato do presidente do Piratas Moto Clube. O cara tava lá de boa na lagoa, tranquilo no mamilo, suave na nave... fazendo um cooper na night. Aí, pêi! Ele vê uns caras dando cabo da vida do "homi". 

O bichinho corre para dar um socorro, mas não adianta... o véi morre. E pá... eis a confusão. Vem uma cambada de Piratas motoqueiros ( meu Deus... Maricota conseguiu reunir duas fantasias em um só invólucro... piratas são emanam aquela aura sexy... motoqueiros, então??? Suei...). Eles já chegam achando que o Richard fez aquela monstruosidade. Óbvio que não. O segurança dele foi testemunha ocular da coisa toda. 

Só que o cabra antes de morrer ainda tinha que jogar o peso da responsa nas costas do Lorde. Mandou que ele assumisse o Moto Clube. 

E o Richard fez: Oooooi??? Comassim?

Veja... Richard é um gentleman... de ternos e gravatas e sapatos Ferragamo. Perfumes caros do tipo Acqua de Gió. Mano... não perfume de Graxa dos cafundó. Sacaram? 

Mas ele tem um senso de honradez e resolve assumir a pendenga pra descobrir quem matou o prez dos Piratas. 

E aí a merda explode. Literalmente. Espera... não que o vaso tenha entupido e explodiu enqaunto estava sendo usado, nem nada.
Mas rola uma explosão no clube, morre uma gal ( galera), bate um furdúncio louco... tá todo mundo em risco.

Acionam os Moto Clube parças pra dar uma assistência e auxílio para o caso de uma eventual briga entre membros e apoio necessário. 

Mano... a Mari criou um enredo muuuuuito casca... tipo de filmes de ação. Uma engenhosidade primorosa. 

Dei o Tocantins inteiro pra ela, porque uma salva de palmas estava pouco.

Nesse meio-tempo eu apenas dei uns cascudos na Nina. Porque eu meio que queria usurpar o lugar daquela viadinha.

Eu sou um pouco possessiva com os machos, perceberam? Me senti uma vadia de clube, quando o que mais quero é ser uma Young Lady.... E sai pra lá com essa alcunha de OLD LADY, mano, porque eu nunca aceitaria um termo desses... e eu lá sou OLD? POoooorra... tá faltando essas mocinhas de livros se revoltarem e abrirem um requerimento... que exijam ser chamadas de YOUNG LADY. Pronto. Opa. Eu dei essa ideia genial. Vou fazer o registro dessa marca pra garantir que ninguém mais a utilize... hehehehe...

Enfim... a Nina aceitou uma situação que o Lorde a fez passar com muita tranquilidade, quando, se fosse eu, dava uma voadora e chave de perna com gancho de direita e esquerda e torção no saco pra finalizar. Depois me levantava linda e bela e ainda dava um cuspidão, soltando uma frase épica: 

- Não quer me assumir, KIRIDOOO... tem quem queira. Vou ali dar pra geral, certeza que vou ter uns manos batendo na minha porta me implorando pelo revival e pelo direito de exclusividade.

Gente... eu gosto de um macho que já chegue junto e fale: MINHA.
K-gay se tem gente que se irrita com essa possessividade toda... eu mesma, só posso dizer que me tremo todinha. Arrepio até os cabelos do carpete.

Enfim... Nina foi meio passiva-bestaloide nessa hora. Depois teve um outro momento onde ela voltou à infância sutilmente e fez uma pausa para a birra do tipo: "não quero... não vou... não quero... não... não..." E eu quase entrei no computador pra poder dar umas sovas na moleca, mas me contentei em deixar comentários no arquivo de revisão da Mari com pérolas like: 

"Lorde, larga essa muleh e vem pra mim, meu filho!"

Hahahhahah... eu sou psica nesse nível. 

Okay...

Tudo tem que dar certo no final. Porque senão o livro não poderia se chamar romance ( e não estou falando do gênero romance como um todo, e sim como o estilo de leitura para mulheres...), onde mocinho conhece mocinha, rola um fling lindo, os dois se apaixonam lindamente, rola um conflito épico, bombas explodem ( porque é Mari Sales), conflitos se estabelecem e pá! Tudo se ajeita e rola um beijaço épico de torcer as entranhas e dar cólicas intestinais quando você acaba... porque você quer um pouco mais.

E está aí. Agora estou esperando o MEU livro. Porque quero saber quem eu peguei, afinal. É necessário que Mari faça um macho alfa belíssimo pra mim e que eu seja suntuosamente fabulosa. Tenho dito.

Mas eis que digo que ... não obstante eu ter sido uma profunda apreciadora dessas obras e de outras da Mari, tendo atuado como revisora, posso dizer que ela é uma autora completa. Escreve com sagacidade, com inteligência além da conta, com o toque de erotismo que os leitores gostam, com diálogos épicos, com emoção. Doses certas de drama e ação. 

É o tipo de leitura que você se diverte. 

E não bastasse isso, a autora é uma linda e une essa beleza toda ao lado blogueira, sendo uma das maiores incentivadoras da literatura nacional. 

Ela indica livros de todas as autoras, faz marketing, divulga pra cá e pra lá, lê, compra, compra de novo e dá para as amigas, compra outra vez e sorteia... Avalia.

E cheguei onde queria chegar.
Mari não pode ter seus livros avaliados no Amazon, porque a plataforma "identificou" um comportamento pernicioso, como se todas as avaliações fossem fakes ou de alguma forma fabricadas para promovê-la. 
OI? 
Espera... é como se ela estivesse infringindo normas e diretrizes expressas, e se outra avaliação de parentes, amigos, conhecidos, afiliados ou funcionários, fosse detectada, ela seria banida de publicar no Amazon.
CARA.... COMO ASSIM????
Quer dizer que o autor tem que ser um ser inalcançável aos leitores, porque se ele der margem a qualquer perfil de relacionamento, ele estará manipulando as avaliações? O autor tem que ser um tremendo recluso? Um FDP grosso e brutal que nem faz questão de contato com o público que o lê? 

Esse é o tipo de autor que o Amazon quer para sua plataforma? Jura?
Porque o fato da Mari ser extremamente meiga e acessível a torna uma pessoa querida no meio. E vejam que triste ela ter que ir a público, no perfil pessoal dela, para pedir que NÃO AVALIEM MAIS OS SEUS LIVROS... por medo de ser banida de um lugar onde se encontrou, onde achou uma fonte de renda que complementa as finanças da família.

Nós autores lutamos tanto para que avaliem nossos livros... para que isso seja um termômetro para que outros leitores nos queiram... e olha a via de contramão que ela teve que passar.
Somos obrigados a ler avaliações que denigrem nossas obras, avaliações de perfis fakes que são usados para detonar quem está no ranking, avaliações que aparecem apenas com o intuito de foder com a autoestima do autor... e isso o Amazon não vê. Onde estão as normas e diretrizes? 

É muito triste essa realidade. 

Muito triste ver uma pessoa tão bacana que tenho o prazer de chamar de amiga, mesmo não conhecendo pessoalmente, se isolando das redes sociais, porque está completamente arrasada com esse golpe infundado que foi dado.

Por quê? E honestamente... isso parece muito coisa de denúncia. Sei lá. De alguém que foi especificamente apontar que talvez os livros dela tenham sempre os mesmos leitores? FODA-SE. Será que não poderiam ser leitores que leram o livro 1, 2 e 3? E gostaram tanto que quiseram avaliar? Será que não são leitores fãs da autora, que acompanham o trabalho dela? Isso os torna menos avaliadores por quê? 

Cara... juro que não entendo.

É por essas e outras que sinto muitas vezes vontade de voltar a ser apenas a Martinha, a divagante. Para me concentrar em ler, tão somente, e divagar, podendo falar as asneiras que gosto de falar e pronto.

Mas havia um sonho que ardia na minha alma. Que começou antes mesmo de eu ser blogueira e divagante. 

Então eu fui atrás desse mesmo sonho. 

E vejo que Mari foi atrás do dela. E nunca esperou tomar uma lapada como a que tomou.

E isso desestabiliza, gente. Posso dizer a vocês com toda a certeza do meu coração... a pessoa pode ser a mais bem-resolvida do planeta... mas ainda assim, quando algo desse nível acontece, há uma rachadura que se instala na autoconfiança que levamos anos para tecer.

Críticas doem? Pra caralho. Mais do que vcs pensam.

Mas asseguro a vcs que o que mais dói é receber um golpe de um lugar que você menos espera, em um momento da sua vida que tudo o que vc mais queria era um colo e aconchego.

Eu queria morar perto da Mari, nesse momento. Pra poder dar o colo que ela precisa. 

Vai meu apoio cibernético.

Porque eu amo essa garota. De todo o meu coração. 

Então... Maricota... força na peruca. O Brasil pode ter parado os caminhões por causa do aumento do combustível, tudo pode parar e faltar... Se precisar... acho que nós, autores, devíamos, sim, manifestar de alguma forma, o repúdio a este tipo de atitude. Enviar email, tentar entender, que seja, chegar à gigante KDP, nem que seja no Exterior. Qual é a política de ação que eles vêm desempenhando? Pelo que pude perceber, outros autores também estão sendo açoitados dessa forma.

É triste isso.

Mas deixo aqui minhas Divagações como forma avaliativa, sim, das obras de Mari Sales. E foda-se... trabalhei nas três.Tenho ligação com a autora e se acho que vale a pena demonstrar o meu apreço aos seus livros e histórias, por que devo ser tolhida de fazer?

Viram porque eu tenho um Moto Clube só meu? Hahhahahahaha...

Bjuuuu




4 comentários:

  1. 😍😍😍😍 Mari, tu sabe que é fera!!! Martinha arrasou mais uma vez, estava com saudades das suas divagações kkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Tem um olho no meio das minhas lágrimas. Obrigada por todo esse apoio, que começou tímido, com uma mocinha nem um pouco simpática que praticava bullying.... ou melhor, começou com uma resenha, de uma certa grávida e um lindo juiz e mesmo não revisando, sinto que é todo meu.

    Meu mundo poderia parar agora, mas eu com certeza não perderia o acalento que recebi nesse furacão. Obrigada, ontem, hoje e sempre por tudo. Amo você do fundo do coração.

    ResponderExcluir
  3. Olha esse Amazon cada dia que passa está mais maluco. Não sei exatamente quais as diretrizes dele, pq não são claras, mas várias avaliações minhas sumiram. Às vezes nem entram. Aí você entra em contato para entender e é simplesmente ignorado. Coisa de doido.
    Mari sua linda, dona dos MC tudo (gosto desse termo rsrsrs), fica firme porque o que é seu, está guardado e ninguém, absolutamente ninguém, toma.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. A Mari é incrível demais, sou parceira dela atualmente, todos os livros que li e estou lendo dela são lindos, completos, mas ela como pessoa que conquista, uma pessoa altruísta, com uma imaginação fértil que te leva a viajar junto. Além de uma amiga companheira, e uma blogueira incrível, sempre disposta a ajudar, seja em divulgação ou no que puder. Espero que toda essa situação melhore e que ela possa voltar a receber as avaliações que merece. Você é uma amiga 10 também Martinha, a Mari tem sorte de ter você. �� ps: estou lendo Piratas, só consigo pensar nela como você mesmo haha

    ResponderExcluir