Divagações de Martinha

 

Pré-História

 

Okay…vamos lá em tempos remotos. O povo pediu…eu tentei…e consegui chegar ao final do livro. Nome: Transcendence . Autora: Alguma coisa Savage. Opaaa….ela já tem no nome esse lance de selvagem?

Entonces. O livro caiu na rede kinen peixe doido pra ser comido. As minas leram e surtaram, no bom sentido. Graças a Deus não soubemos de nenhuma que realmente tenha ido para num manicômio.

Só via os comentários enaltecendo o tal homem das cavernas e tchururu. Aí, dei um look grade na capa e não curti. Nhaaaaammmm…

livro 1

Vamos combinar geral. O cara é feio pracarái. Eu pelo menos achei. hihihih…

Mas daí, como toda leitora psica, a gente começa a ler e os horizontes começam a mudar. Eu tenho um hábito muito saudável. Aposto que algumas de vcs devem ter também. Ou já tiveram, se foram curadas…

Eu tenho mania de ler o livro e quando rola os momentos de descrição dos personagens, eu volto na capa pra dar uma olhada e ver se é compatível. Seja em livro físico ou no ebook. Tipo pra me lembrar do cara, mesmo. Uma visualização facilitada. Por esta razão eu tenho mania de comprar o livro pela capa…e quando descubro na história que a capa não tem nada a ver com o bofe…caracaaaaas…eu fico puta! Tipo, o cara é loiro, gato, de cabelos grandes e com o peito cabeludo. O cara da capa é moreno, de cabelo curto, gato, porém de peito pelado. E aê, José? sacanagem…

Por isso essa capa não me agradou em nenhum momento. Até que eu venci o preconceito e peguei p danado pra ler. Well…tive que dar um upgrade e fazer um F5 pra atualizar o bofe. Então…preferi trocar esse ser da capa, por este exemplar.

Selvagem

Opaaaaa….façamos pois um comparativo. Tô de boa na lagoa com o bocudinho ali da esquerda, hein? Não é aquele fofo super macho que fazia Games Of Thrones? Então tá…

Okay…repaginando o mocinho, eis que caí dentro da leitura. E guriiiiias…descobri porque as minas estavam todas piradas. Não, suas taradas. Não tem nada a ver com o documento do rapaz. Tem a ver com a intensidade que a criatura se descobre curtindo a mocinha.

Vejam bem. O cara tá lá…espreitando na moita que algum animal caia na armadilha dele. Putz…ele tá com fome, tadinho. Daí ele escuta algo e vai todo feliz da vida olhar sua caça. E dá de cara com tipo assim…a Gisele Bündchen da parada, sacaram?

A muléh mó gata selvagem, tá vestindo uns lances esquisitaços pra ele, e fica fazendo um barulho absurdamente irritante com a boca. Sabem o que? Ela estava falando. Yay! Um cara mudo! Não, minhas senhoras. É que o cara é pré-histórico e não se comunica por palavras. Gestos, desenhos, tchururu. Mas palavras formando frases? never.

Daí ele sai levando a moça p caverna dele. Nada de arrastar a bichinha pelos cabelos. Ele foi até gentil. Tava tentando salvar a guria de ter a bunda chutada por um bando de búfalos ( era isso? ) . Aí ele leva a gata pra conhecer o seu Quartinho do Horror. Tipo…necas de TV de Plasma. Cama King Size? Noooo…Cozinha ultra moderna? naaaayyyy…Uma banheira luxuosérrima? Nuuuunca.

A caverna é tipo…uou…uma caverna mesmo. Sem nenhum atrativo bacana. Só com o foguinho pegando ali numa fogueirinha pra dar um calor para afastar o frio enregelante. O cheiro fétido de carne vencida tá varrendo o ambiente como uma onda nauseante de putridez ( caraaaa…que lindo isso que eu falei…). Tipo: tradução. A caverna fede. Porque não tem geladeira, sacaram? poxa…é por isso…o cara até faz suas necessidades fora do cafofo.

A gata dá um look no visú e pira na maioneggs. Literalmente. Começa a chorar e falar e o cara tapa os ouvidos porque aquilo tá doendo a cabeça dele e tal.

Vejam bem. O livro é toooooodo na narrativa dele. Se ele não fala, é mais do que óbvio que o livro tooooooodo não tem diálogos empolgantes e tralalá. Eu curto um embate dialogal. Eu falo pacas. Então…ler um book sem diálogos foi…no mínimo interessante. Agora já posso dizer que li quase de tudo.

Vejam bem. A mocinha é descolada. Ela dá um trato no garoto. Dá um banho gelado nele, porque o cara devia estar fedidão. Penteia as madeixas do rapaz…uou…eu não teria coragem de chegar perto…sei lá o que poderia ser encontrado naqueles dreadlocks. E vai levando a vida pacata, falando sozinha, porque ele nunca responde. Óbvio. hahahaha…

Vamos lá. Até que chega o momento derradeiro. Nãoooo, suas safadas. Não é rala e rola do babado não. Chega o momento de revelar o nome. Tipo aquele lance: Mim, Tarzan. Tarzan, Jane.

A mina tenta perguntar o nome dele. Ehd. Oi? isso mesmo que vc leu. EHD. Maneiro. Curto. Rápido. Num grito só você já chega no intento: EEEEEEHD!!!

Aí ela vai falar o dela. Essa parte é hilária. O nome da girl é Elizabeth. Ela tenta. Mas o mané pelado só consegue falar Beh…BEH. BEEEEEEh…Juro. Por alguns instantes pensei num bode. Bééééé…

A parte boa é quando, por fim, rola o esbregue naite, os gritos ficam fáceis…quer dizer…o cara só geme um lance assim: hooooooommmm…

Eu ri horrores. Mas agora falando bem e sério. O livro é uma descoberta de dois mundos. Ele tenta se ajeitar às maneiras dela e ela tenta de toda forma se manter no mundo dele. Ela desenvolve altos utensílios com o material que tem em mãos e com o conhecimento que tem do século ao qual ela pertence. Ela acaba realmente se apaixonando pelo cara e ele, à sua maneira tosca de ser, se apaixona por ela. Embora ele pense que colocar um bebê na barriga dela seja sua obrigação principal. Espertiiiiinho. Ele se preocupa e tenta suprir tudo o que ela precisa, ou o que ele acha que ela precisa. Então é muito bonitinho ver ele se esforçar pra agradar a mocinha.

Dois mundos. Duas culturas. Que se fundem em uma só. A gente pensa que o livro não tem lógica alguma, mas lá pro final, quando lemos um spin-off do que talvez seja o próximo livro, com o Ponto de Vista da mocinha ( aê sim vamos ter diálogos…) , é que compreenderemos que há muito mais do que aquilo que lemos…huuuuummmmm…

Chegaremos a compreender que a história dela é realmente uma pré-história do que foi a história??? confuso? também achei…hahahahaah…

Mistééééérioooo…

 

Bjuuu

P.S. Vençam o preconceito e leiam. Vocês nunca mais vão olhar para um homem das cavernas com os mesmos olhos. De acordo com algumas meninas, você nunca mais vão chamar os homens ogros de Homens das Cavernas. Porque esse EHD mudou todo o conceito.

12 comentários:

  1. Em primeiro lugar, quero agradecer por ter atendido ao meu pedido e dizer que sem surpresas dei muitas risadas de suas divagações. Quando eu li o livro só pensava putz a Martinha vai ter um prato cheio com ele, como sempre ficou fodastico!!! Obrigada
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh...que bom que fiz jus ao seu pedido, Amanda. E realmente...eu lia o livro pensando nas divagações...e o livro foi tão marcante que usei a história do Ehd p uma paródia homenageando uma amiga ...hahahaha...tipo...sabe aquele lance de Jujubastácia? Com 50 tons de rosa? então...nesse eu usei a história do Ehd...hehehehe..

      Foi ótima sua dica! quando quiser uma divagação, basta pedri. Faço o possível para atender vcs!

      Bjuuu

      Excluir
  2. Martinha, adorei a divagação!!! E realmente adorei o livro!
    EHD me conquistou!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comecei com um pé atrás...daí resolvi encarar de vez. Claro que como sou faladeira, Carol, eu penso que eu morreria de tédio se eu estivesse com alguém como o Ehd..hahahaha...eu preciso de diáaaaalogos! hahahahaha
      Mas o livro é bem fofo. Amei tb!

      Bjuu

      Excluir
  3. eu li todo adorei estou na expectativa do livro com a fala dela achei interessante o inicio do livro esta no final ele e super atencioso apesar de não entender o que ela diz. vale apena ler

    ResponderExcluir
  4. hahahaha Martinha mais uma vez
    arrasou !!!!

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Martinha, adorei sua divagação. O livro é incrível, diferente, adorei o mocinho virgem , que vive na mais profunda solidão e quando encontra a mocinha, cai de quatro, ele é super gentil e amoroso, quer agradar de todas as forma e é respeitoso, o final é lindo, emocionante. A autora nos convence desse amor entre seres de séculos diferentes E os filhos? uns falam e outros não. Beijos. Feliz sábado.

    ResponderExcluir
  6. Livro realmente maravilhoso,onde os personagens vão se apaixonando aos poucos.Eu gostei da autora ter escrito em primeira pessoa nos dando a visão dele,que é uma visão simples das coisas que torna o livro engraçado e ao mesmo tempo de muita sensibilidade.

    ResponderExcluir
  7. Morri de ri com essa divagação! kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  8. Morri de ri com essa divagação! kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  9. gente do ceu acabei de ler as divagaçoes com os russos e me lembrei desse livro,pensando eu que seria bom se ela divagasse esse ,minha surpresa ela ja fez,agora vou ler e me deliciar,xero

    ResponderExcluir
  10. gente do ceu acabei de ler as divagaçoes com os russos e me lembrei desse livro,pensando eu que seria bom se ela divagasse esse ,minha surpresa ela ja fez,agora vou ler e me deliciar,xero

    ResponderExcluir