Divagações de Martinha

 

 

Amo Highlanders com força.

 

O que? o título ficou estranho? ops…sorry…eu amo com força os highlanders bacanas que as autoras criam pra gente…hehehehe…melhorou?

Okay…eu estava com saudade dos McCabe. Sim. Eu releio livros que me deixam ouriçada. E eis que um certo dia, sonhei com os tais McCabe. Claro que meu sonho foi meio que uma fanfic, porque eram eles, mas não eram, porque no sonho eles eram vikings. Poxa gente…não riam…sonhos são loucos…e numa mente divagante são mais ainda.

Soooo…eu nem vou divagar sobre os McCabe. Não chorem. Eu já divaguei a long time ago sobre esse trio de gostosos que dão um caldo nas “muleh” deles.

O que vou falar é algo bem nojento. Mas vou explicar tudo no final.

Eu acordei uma madrugada destas passando mal. O estômago estava revirando loucamente. Um único salgadinho disgramento desceu errado no esquema e não se relacionou de boa com o meu ácido gástrico. Um não foi com a cara do outro. Daí, eis que coloquei os bofes pra fora, na alta madrugada. Cara….saiu só ele, acreditam? o cabra ( o salgadinho) queria sair de todo jeito do meu corpo.

Tudo bem. Até aí de boa. Quase mergulhei minha cara na privada. E é aí que começa toda a minha divagação. Enquanto eu estava naquela posição humilhante, eu pensei com meus cabelos roxos:

“Cara…a minha privada é totalmente privada, de uso exclusivo meu, limpinha, bem lavada, em porcelana fashion e tals. E mesmo assim, é nojento ficar aqui de joelhos, submissa a este trono fétido para colocar os bofes pra fora.”

Daí pensei em todos os livros que lemos onde as mocinhas chamam o Raul, ou o Juca, ou simplesmente vomitam as tripas. Seja por um porre épico ou por um mal estar gravídico. Ou uma infecção intestinal. Ou ainda um momento de emoção ultra que coloca o estômago em polvorosa.

E aí, penso nas mocinhas que chamam o Juca nos banheiros públicos da vida. Uou!. É nojento. Tipo…não dá pra pensar em rolar uma ajoelhada e enfiar a cara na privada, certo? porque de privada ela não tem nada. Aquele vaso sanitário já viu muitas bundas publicamente. O problema se resume à impossibilidade de você até mesmo segurar nas bordas do vaso para controlar a ânsia de vômito. Até nas paredes do cubículo é nojento pensar em segurar ou apoiar as mãos. Sei lá que zilhares de bactérias nojentas já não passaram por ali e deixaram seu rastro…

Credo. Que papo sem pé nem cabeça. Okay…por isso me chamam de divagante.

Onde entram os highlanders? Aqui. Neste ponto. As mocinhas vomitam mais do que os gêiseres fétidos da Nova Zelândia. Juro. São três livros dos irmãos McCabe. Nos três as mocinhas se estrebucham até dizer tchau pra alma. No primeiro, inclusive, a mocinha chega a ser envenenada e põe os bofes pra fora na frente do castelo inteiro. E pior…na hora do jantar…

E a coitada para de vomitar? nãoooo…ela prossegue assim por intermináveis dias. O highlander fodástico chega até mesmo a enfiar o dedo na goela dela para o veneno sair mais rápido. Eu hein…

A pobre coitada literalmente faz das tripas coração para ficar com o mocinho. Até tomar o veneno no lugar dele.

O livro 2 e o 3 seguem no mesmo padrão. Quando as mocinhas sacam que estão grávidas, ou quando se veem debaixo de uma situação de muito estresse, elas colocam a boca no muro. Ou na grama. Ou no chão mesmo.

E atentem-se ao fato de que naquela época, o saneamento básico de básico não tinha nada. Na verdade ele sequer existia. Então pensem na beleza e no odor impregnado que reinava quando estas mocinhas passavam mal…

Era nojento. Agora…onde mais lemos situações onde as mocinhas abraçam o Celite? Nos livros badalados do momento, aqueles onde as garotas joviais se embrenham em alguma situação sórdida num night club ou depois de um pé na bunda e aí caem matando na Tequila, na Vodka e mais por aí…

Vocês sabem o significado da palavra TEQUILA ? É uma palavra que originou-se da expressão To Kill YA. Tipo…” essa bebida é forte o suficiente para To Kill Ya.” Pra matar mesmo. E é de matar a situação em que as mocinhas ficam depois de uma noite de bebedeira insana.

Eca. Mocinha vomitando em mocinho, nos cabelos, nos sapatos, dentro do carro, na bolsa…valei-me Jesus…

Enfim. Seja por vírus mórbidos ou um exagero no deguste do álcool, o que prevalece sempre é :  Vai ficar azedo no final. Literalmente.

 

Bjuuuuu

P.S   Bye the way…odeio limpar vômito. Porque eu praticamente quase vomito junto em cima do que já estava vomitado….iiiiirrrrrrc.

4 comentários:

  1. Apesar de nojento adorei a divagação rsrs Acho que nos livros históricos os personagens já estão meio acostumados com o futum e não têm tanto nojo rs Vou pegar um Bom Ar e revisitar os McCabe. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Apenas você poderia divagar sobre isso, sem ser nojento! hhehehehhe

    ResponderExcluir
  3. Martinha, diva! Só vc! Kkkkk
    Adorei a divagação e fiquei aqui pensando que já me chamou a atenção que em alguns livros, depois de revirar o estômago do avesso e tal, as mocinhas fazem bochecho (um listerine da vida deve ser) e só. Sério? Não rola uma esvovação pra retirar toda e qualquer impureza? Bem nojento!

    ResponderExcluir
  4. Não vai dar para olhar a "privada" de forma igual, rsrsrs.
    Como sempre você transformando algo chato/nojento, rsrs, em um evento divertido.
    Agora, o que vou mesmo é levar os 3 McCabe da Maya para lista de leituras, rsrs.
    Obrigada por me chamar atenção para eles, regurgitações à parte, rsrs.
    E Espero que estejas melhor do mal-estar.

    ResponderExcluir