Divagações de Martinha

 

Martinha divagando

 

Diferenças de Opiniões

 

Adoro atrasar divagações porque sempre aparecem oportunidades de assuntos interessantes…hehehe…estava eu lindamente vadiando no facebruikson, quando me deparo com people indignado num post, reclamando de outro post de um outro alguém.

Lá fui eu de curiosa dar um bizú no lance. Fiquei de face. Chocada como um pintinho passado do tempo.

frase-cara-estou-chocado

 

Olha…livro é livro. Isso é fato. Há diversos estilos literários, linhas e gêneros. Há livros de romance, livros de poemas, livros de autoajuda, livros autobiográficos, livros científicos e etc. Cada pessoa escolhe aquilo que gosta de ler. Aquilo com o que se identifica.

Dentro de cada estilo, há ainda as classificações de cada modalidade literária. Livros de ficção e não ficção, livros históricos, contemporâneos, YA/NA, sobrenaturais, paranormais e uma infinidade de mais e mais…

Dentre cada modalidade há as subclassificações ainda…livros com linguagem mais cult, linguagem mais hot, linguagem mais ácida, linguagem mais melancólica, mais porn, mais lírico, mais viajante…

Cara…são muitas as possibilidades. O problema não são os livros. São os leitores e aqueles que se fazem de críticos de determinados livros. Existem os pseudoleitores. São aqueles que leem ou dizem que leem apenas livros engrandecedores da alma humana. Livros que acrescentem e bla bla bla.

Helloooooo….obvio que com uma variedade enorme de livros e pessoas, autores e leitores coabitando num mesmo planeta, divergências surgirão e cada qual se identificará com a linha que quiser.

Mas se tem uma coisa que fico pau da life é quando alguém detona um tipo de book só porque tá a fim de detonar, ou porque não gosta. Uou…isso é questão de opinião. People pode meter o malho geral em livrinhos de banca, na linha basiquete da harlequin, mas nem faz ideia que a maioria das autoras sonham ou já sonharam em algum momento da sua vida,  com uma aceitação da editora mais poderosa no mercado editorial americano. A Harlequin projeta autores e dá oportunidades a todos aqueles que tem talento pra sonhar e colocar no papel história que levem outras pessoas a sonharem.

Eu sou defensora absurda de Nora Roberts. Pra mim ela é diva total. Teve seu primeiro manuscrito negado, não desistiu, enviou novamente até que foi aceita e hoje é o que é. Um fenômeno editorial. E daí se os romances que ela escreveu no início são florzinhas ao extremo do açúcar mascavo? Não é isso que queremos? ler romances adocicados que possam nos deixar um pouco mais flutuantes nas agruras do dia a dia?

Respeito quem não goste dela ou de sua forma de escrever. Mas uma coisa não há como negar: ela é diva no meio inclusive das autoras de romances. Ela é um ícone e um exemplo para muitas autoras das antigas e das novatas. Nora Roberts é um nome respeitado e contemplado pelos feitos que ela conquistou e pelo mercado que ela abriu.

É claro que outras autoras podem se igualar, mas no gênero romances florzinhas, dóceis e cheios de momentos in love, Nora Roberts é praticamente patrimônio histórico e cultural.

Me diga aqui e atire a primeira tecla aquela que nunca tenha ouvido falar o nome dela. Não digo nem que nunca tenha lido, porque sei que muitas pessoas ( principalmente as mais jovens) nunca leram nada dela. Mas o nome é conhecido. Mesmo que tenha sido na hora que vc foi na banca ao lado comprar um picolé, uma paçoca, um cigarrildo ou o jornal…você passou de leve na frente da estante onde estão dispostos os livrinhos paperback…e lá, com certeza, vc viu o nome dela.

Muitas autoras são hoje grandes…top…over…master…mas pode analisar…muitas começaram ali, na berlinda da Harlequin, edições paperback de folhinha nhaca, amarelada e com cheirinho de banca de jornal, com capinha muitas vezes medonha e vexaminosa. Muitas começaram a escrever porque leram exatamente este tipo de livros.

Então vá bater um papo com J. R Ward e veja quem é a escritora que ela venera. Vá ver onde ela publicou pela primeira vez e sob que alcunha. Pergunte se ela se envergonha de seu passado paperback…

Falem mal, mas não falem de Nora…hahahaha…brincadeira…falem o que quiserem, mas cada um é cada um. Gosto é particular. Se eu curto romances de banca não significa que sou um ser acéfalo que não sabe nada de literatura. Posso me dedicar tanto a um Nora Roberts edição futilidade, quanto a um Kafka…bleeeeee…mentira….zoei geral…

Eu leio mesmo.   Romance de banca, livraria, cibernético, whatever…é romance? leio. Tá bem escrito? admiro. É engrandecedor? who knows? pode ser pra mim e não pra vc. Uma forma de ver ou ler um livro de romance vai depender de cada um. Às vezes minha alma precisava de um momento viajante nas Highlands, sonhando com um cavaleiro andante num cavalo poderoso, suado e fedido kinen uma nhaca, mas que deixou a mocinha arreada os quatro pneus e o estepe. Ele dá um cata na heroína e fala com uma voz de barítono: “My lady, te amo como nunca amei ninguém nesta terra vasta e árida. Meu coração estava empedernido pelas batalhas, mas você trouxe a suavidade do amor. Onde nunca antes achei ser merecedor, hoje posso dizer que minha vida tomou um novo rumo porque você me fez ser um homem melhor….agora só esquartejo quem realmente merece…só trespasso a espada se achar que sua segurança estiver em risco. Guardarei nossa fortaleza e nossos filhos com minha própria vida. Esteja ao meu lado e serei um Cavaleiro do Rei feliz e honrado….”

( texto extraído da cabeça divagante de Martinha num momento super poético e profundamente romântico…cheguei a suspirar….)

É isso aí…naquele momento eu precisava de uma dose cavalar de romance bem floreado e cheio de emoção. Pronto. Vai dizer que não foi lindo? que seus olhinhos não marejaram?

O importante é cada um respeitar o gosto de cada um, né? Não perturbo ninguém que curta ler romances ultra doidos e paranormais cheios de elementos mega doidos…mas tb não me zoem por querer ler algo leve, fácil e cheio de coraçõezinhos flutuantes…please.

Prontofalei.com.br

hahahahahahahah…

romances_banca1

Hah…olha o que ela tá lendo…paperback…lalalaalal…

Bjuuuuuuu

14 comentários:

  1. Martinha adorei o que você falou.As vezes me sentia meio não cult,pq
    eu leio diversos gêneros:romance,histórico,ya/na,suspense,erótico,florzinha.Também acho chato as pessoas criticarem,nos já sabemos como vai ser o final então pq vai ler ou então criticar??!! Honestamente eu acho o estilo da Nora bem diferente,tipo A série mortal,não sei se é pq estou no 2 livro mas estou achando meio fraquinho, é totalmente diferente dos livros florzinha dela.

    ResponderExcluir
  2. Martinha esta certíssima!!!! Quem não gosta não leia, mas falar mal assim de forma gratuita é muita maldade. Acho difícil alguém ler N R e não curtir, mas enfim a gosto para todos. Eu não vivo sem ler os livrinhos dela, alias conheci a N R pela família MacGregors que me foi indicada por uma aluna adolescente (na época minha aluna tinha 17 anos e me falou sobre o livro Um vizinho perfeito) e depois tive o prazer de ler a serie Mortal, ai pronto perdição total :-D

    ResponderExcluir
  3. Tah vendo como tudo eh questao de ponto de vista? a série mortal eh ícone e viciante para muitas ( taradas pelo Roarke...maldita hora me que fui apresentar...) , e já tem people que não curte pq não bateu o feeling.
    Normal...o legal eh poder discutir de boa sobre livros, indicar, reclamar e etc, sem que caiamos no erro de criticar o gosto de outros...

    Bjuuu

    ResponderExcluir
  4. Adoro a NR, conheci através dos livrinhos da Harlequin, lá nos anos 80 e depois fui comprando todos os livros dela. Concordo que cada um goste de um gênero de leitura, mas não desmerecendo os outros. Conheço muita gente que torce o nariz para os meus romances e livros de banca, dizendo que e cultura inútil...mas ficam assassinando o português justamente pq não lêem. Eu gosto de ler tudo que aparece mas prefiro romances.

    ResponderExcluir
  5. Arrasou, Big Martis! Fico fula quando as pessoas denigrem um livro que não gostaram porque acaba desestimulando outras pessoas. Cada um tem direito de ler o que quer. Não gosta? Pelo menos, respeite, então! ;)

    ResponderExcluir
  6. Não me conformo com pessoas, que se dizem leitoras, serem tão preconceituosas. Rotular para quê? Que cada um tenha a liberdade de ler o que gosta e que deixem os outros serem felizes lendo o que mais lhe agrada. Dar uma opinião a respeito de um determinado livro, dizendo se gostou ou não, é uma coisa. Agora, achar que o seu gosto é soberano? Só terapia na causa!
    Beijos, Martinha e um excelente final de semana!

    ResponderExcluir
  7. Martinha, minha divagante mor!!! estou contigo e não estou prosa!!... ?????... sei, muito anos setenta, né???? q posso fazer se minha infancia e 'aborrecencia' se deu nessa epoca??? kkkkkkkkkkkkkk..... entonces, voltando as vacas magras, amo romances, seja q tipo, raça, cor, religião....??? hehehehehehe... enfim, romances pra mim são assim tipo o meu banho diario das agruras da vida. eu leio de td: de nacionais até Kafka... é concordo com vc, fiquei noites tendo pesadelos com akele "Metamorfose" q, pra mim, deveria ficar na categoria dos de horror! no entanto, pro meu banho diario eu, TODOS os dias, leio um romancizinho basico, sabecumé? hehehehehe.....

    ResponderExcluir
  8. Tô contigo e não abro Martinha!!!Gosto é gosto e não se discute.tem livro para todo mundo,de todos os gosto,gênero número e grau...é só escolher o que te apetece kkkkkkkkk

    Bjs

    Pri

    Ps: Se não houver divagação antes do natal, FELIZ NATAL FLOR!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Martinha amei você hoje! A maioria das fiéis leitoras leitoras começaram com os livros de banca e hoje graças a Deus temos uma infinidade de escritores para uma infinidade de leitores e isso é bacana! Amo Nora Roberts, Sherrilyn Kennion, Maya Banks e po aí vai!
    Ler me faz viajar sair da minha realidade e cair em outra dimensão não é ótimo! Beijos Matinha!

    ResponderExcluir
  10. Arrasou! Adorei a forma que vc abordou esse assunto e concordo totalmente.

    ResponderExcluir
  11. Pois é, minha irmã costuma 'torcer' o nariz para esse tipo de literatura e diz que gosta só da clássica e considerada 'culta', sinceramente não vejo onde isso à leva ..... pois nunca vi uma pessoa tão inteligente ser tão ignorante pras coisas do dia a dia.... azar o dela e sorte a nossa o/... rsrsrsr

    ResponderExcluir
  12. Cara ter preconceito por aquilo que não conhece é pura perda de tempo. Eu sei disso, comecei a ler apenas clássicos da literatura nacional e internacional, Machado de Assis, José de Alencar, Dante Aliguieri,entre outros, mas aos 14 anos, sem nenhum livro pra ler em minhas férias de escola, eis que eu pego um livrinho de banca da minha madrinha para passar o tempo. Pura perdição! Nunca mais fiquei sem, e Nora Roberts é a minha rainha, conheci através da versão de banca na 1º edição da Família Donovan, ainda nem tinha o livrinho do Liam, e desde então tudo o que ela escreve vem parar na minha estante, e no meu HD, porque quando se trata de NR, eu não me contento com uma única versão. Respeito às diferenças é o que há. Bjos Martinha, vc arrasa nos seu posts.

    ResponderExcluir
  13. Falou e disse Marthinha!! O primeiro de muitos livros que comecei a ler foi romance de Banca, então Fora o Preconceito!!! Arrasou!!!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  14. O meu gosto pelos livros começou com os romances de banca, vários livros que aos 12,13,14..., ainda estão em minha memória; lembro das capas e tudo mais. Sei, que se algum dia tiver um filha, quando chegar a hora, não terei dúvida em apresentá-la aos livrinhos de banca, tão queridos.

    ResponderExcluir