Divagações de Martinha


image

Simplesmente Nora
Pois bem….correndo o risco de não receber sequer nenhum coment neste post, eu mesmo assim não poderia deixar passar a oportunidade de falar sobre ela: A mulher. E quando digo que corro o risco de não me ver comentada em meu texto espetaculoso, é com conhecimento de causa. Vocês, leitoras sapecas, são muito seletivas nas divagações que vcs curtem e se esbaldam nas letrinhas … se eu divagar sobre sexo selvagem, o post bombaaaaaa….se existisse trend topics para posts blogantes, então era só eu fazer uma divagação sexológica….hehehhehe…taradeeeenhasssss…..
Mas enfim, já há muito tempo eu estava querendo divagar sobre a minha ícone-mor. Minha diva literária absoluta. Se eu algum dia conseguir chegar em 10% da maestria com que ela escreve, já me darei por plenamente satisfeita. Eu já divaguei sobre ela antes. Inclusive, foi nesta divagação que falei sobre o Roarke tão amado e querido por todas nós. Disse que tive um preconceito no teor da palavra, Pré- conceito, e que deixei de ler e acabei me arrependendo amargamente pelo feito. Hoje sou uma viciada psicótica pela série Mortal. E adivinhem quem resistiu muito tempo também e hoje se rendeu ao charme de Roarke??? nossa amada Lilith…hehheheheh…adoro aliciar vocês no mundo do crime literário…
Na verdade, divagando em minha própria divagação, eu deveria ser contratada por alguma editora, autora e afins, para aliciar vocês em algum amplo campo literário, né?! quantas de vcs eu já coloquei no vício pela galera da Irmandade dos Adagas Negras? hein hein? e quantas se renderam ao charme irlandês de Roarke, assim como euzinha, depois de ler alguma coisa com respaldo técnico?? muitas….sempre ouço queixas: Martinhaaaa….agora eu tô no vício!!! não consigo largar os IAN…  ou ainda Martinhaaaaa….que homem é esse? o Roarke!!! ahaaaaaaaaaaaaa….
Sim…vcs são histéricas, mas eu também sou. É isso que nos faz psicóticas e maravilhosas. A entrega com que nos damos aos livros. Pois bem…daí, hoje farei uma coisa totalmente passional. Vou falar sobre Nora Roberts. Serei a advogada de defesa, acusação, whatever…
Gentem, algumas de nós muito provavelmente já deve ter lido ao menos um livro de Nora Roberts. Pelo menos unzinho da silva. Ela tem sempre romances de banca sendo vendidos por aí. Alguns de seus livros já viraram filmes. Não de cinema, tipo blockbusters, mas filmes de sessão da tarde, sabem? Mas enfim, já é um feito , né?! Em suma, Nora Roberts é a elite da elite das autoras. Danielle Steel se faz nesse rol também, seu nome sendo super conhecido e tals, mas Nora é Nora. Ela é uma máquina de escrever. Seu cérebro é altamente capacitado para desenvolver histórias que nos prendem do início ao fim.
Eu tenho teorias feitas a seu respeito. Creio inclusive que já compartilhei estas mesmas teorias com vcs anteriormente. Acredito piamente que ela mantem uma equipe secreta de ghost writers que desenvolvem o grosso da história e ela respalda nos finalmente.
Uma coisa eu percebi claramente. A evolução com que sua escrita se apresenta. Toda vez que pego um livro dela, a primeira coisa que eu faço é ler o ano em que ela escreveu o dito cujo. Porque eu faço isso? porque quanto mais antigo o livro for, mais pudica ela será também. Sério. Os livros escritos nos anos 80 são livros que a maioria das mocinhas é pura como uma flor virginal, ou não tão pura, necessariamente, mas o desenrolar do casal entre os lençóis ou se dá nas últimas páginas do livro, ou se dá depois da última página, só no nosso imaginário…merda…odeio isso…eu quero ler o depois do felizes para sempre, gente!!!
Então…daí, à medida que ela avança em seus escritos, as histórias já ficam mais apimentadas. Porém nunca espere uma pimenta estilo Lora , ou estilo as autoras do L World ( não é um trocadilho de autoras velcrinho, tá? é L world de autoras que começam seus nomes com a letra L e que por coincidência são sapecas ao extremo…).
Os livros mais apimentados de Nora Roberts são escritos sob o pseudônimo J.D.Robb, ou seja, os livros da série Mortal. Curiosidade para os curiosos: J de Jared e D de Derek. Os nomes de seus dois filhos. Viram? Martinha também é cultura…heheheheh…
Um outro achado muito interessante nos livros da tia Nora é o seguinte: os mocinhos são muito, mas muito, muito messsssssmo parecidos com nosso Roarke. Da mesma maneira que a tia Judith se concentra em escrever e nos deleitar com homens muito semelhantes fisicamente e em temperamento, a tia Nora também. É uma característica delas. Os heróis de seus livros tem a mesma performance. Nem por isso são enjoativos e menos interessantes. Pelo jeito, homens com as descrições deles são o sonho de consumo da tia Norinha. Sapeca. Gosta de um homem rico, poderoso, mandão e cheio de marra. Mas que quando ama, ama com tudo o que tem direito e um pouco mais. Todos eles são muito semelhantes. E todos eles nos remetem ao nosso Roarke. Na verdade, seus livros antigos respaldaram a construção do Roarke. Algumas heroínas são uma mera lembrança de Eve Dallas. Nenhuma tem a densidade da personagem, mas algumas são bem próximas. Quer um exemplo? eu li um livro recentemente dela em um exemplar chamado Joias Raras. São duas histórias. A primeira traz uma mocinha forte, decidida e autêntica que assume o lugar do pai falecido na chefia da delegacia da pequena cidade onde morava até a juventude. Ou seja, ela é advogada e volta para casa para ser a xerife temporária do lugar, em honra ao pai. Logo, ela é marrenta. Uma síntese de nossa Eve. E divertida ao extremo. É um livro bem interessante e delicioso para ler. O herói é um diretor de cinema super chiquetoso que cai de amores pela xerife. Alguma semelhança?
Certo. Outro ponto importante nos livros Noreanos. As mocinhas tem conflitos generalizados e densos com suas progenitoras. Uau. Faz você repensar sua relação com sua mãe. Vc lê um livro da Nora e investiga a fundo o seu próprio relacionamento com sua mami e pensa: putz…ainda bem que minha mãe não é essa aí…  sério…alguém já tinha reparado nisso? As mocinhas ou são orfãs, ou são destruídas psicologicamente por uma mãe psica ou tem conflitos sobrenaturais homéricos com suas mothers…algumas deveriam receber o título master de motherfuckers… desculpa…a piada foi infame, porém necessária e verídica. Sério mesmo.
Na Trilogia da Fraternidade, Nora nos presenteia com suas origens. É nítido que ela curte muito suas raízes e seus livros sempre trazem irlandeses tudo de bom. Nosso Roarke é um exemplo dessa máxima. E ela nos deixa apaixonadas mais ainda pela Irlanda. Se antes já éramos loucas pela Irlanda e seus highlanders sarados e másculos, depois de Nora Roberts, nossa paixão passa para um nível mais profundo. Juro pra vcs. Ela conseguiu fazer com que eu passasse a desejar muito mais conhecer a Irlanda do que a Inglaterra propriamente dita. Isso foi um feito. Sou apaixonada pela monarquia inglesa desde a adolescência. É meu sonho de consumo. Agora ele está dividido pelas Terras Altas.
Como eu ia dizendo, na trilogia das irmãs Concannon, a mãe delas é um mocra. Super cheia de zigueziras, judia da mais velha, humilha e tal. Mas ela não tá nem aí. É super bem resolvida, porque seu relacionamento principal era com o pai, que morre no início do livro. A mais velha protege a irmã caçula, que na verdade elas descobrem depois que não é a caçula, já que tem uma irmã fruto de um relacionamento extraconjugal do pai. Laços de Fogo, Gelo e Pecado são três livros sensacionais. Mesmo. Li em uma tacada só.
Vocês sabiam que o casal do segundo romance, laços de Gelo, que tem a Brianna Concannon e o fofo Grayson Thane, um escritor de livros policias cheios de suspense, num romance arrebatador. Gente…é lindo. Eu chorei. Primeiro porque você se apaixona pela Brie e depois pelo Grayson. Numa enquete feita no site da Nora Roberts, eles são o casal número 2, atrás apenas de Eve Dallas e Roarke. Acreditam? Então, podem ir por mim e pegar o livro para ler. E de apaixonar. Inclusive, tenho que mandar minha Cena e o Tema para a Lili de novo, com exatamente o trecho desse livro.
Gentem…são muitos…os livros da tia Nora são vários…eu acredito que alguns soberbos, outros menos. Alguns inesquecíveis, outros apenas “líveis”. Mas uma coisa eu posso afirmar com certeza. Ela é uma autora que consegue nos reportar para vários lugares espalhados no mundo, em vários territórios, sob várias situações  e em amplos aspectos. Cada de um de seus livros vem com uma riqueza de detalhes que nos surpreende absolutamente em tudo. Seja na profissão de seus protagonistas, que ela descreve com maestria, seja na exploração da personalidade de cada um. E existe uma coisa que a Nora consegue fazer comigo. Uma cena de preliminares, ou aproximação entre o casal, não precisa da exploração verbal de todas as partes anatômicas dos dois. Ela descreve com tanto tato que eu sinto arrepios e borboletas no estômago cada vez que leio. A forma como o cara se aprochega na mocinha e dá aquele “garro” gostoso. Ui…me lembram as sensações do primeiro amor….sério mesmo. Acho Nora Roberts um espetáculo. Sensacional. Faço questão de comprar os livros dela e manter como um tesouro precioso na minha estante. Para quem nunca leu, leia. Para quem já leu e tem preconceito , leia com outros olhos. E para quem simplesmente ama Nora, como eu. Ergamos nossa camiseta de Team Nora. Nooossa….essa pegou mal…se a gente erguer a nossa camiseta, a gente vai pagar peitinho!!! hahahahahahahaha…

Bjuuuuuuuuuuuuuuuuuu
P.S Outra trilogia mara dela é a Trilogia da Gratidão. Super demais. 

9 comentários:

  1. Amo sempre suas divagações,não importa qual seja o tópico,elas são criadas de forma inteligente e interessante,nos levando a momentos super divertidos...Martinha quanto a autora Nora Roberts você esta certa,esta mulher possui um incrível talento.Li muitos livros dela,mas ainda não tinha lido a série Mortal,sempre deixando para depois,mas irei começar rapidamente rsrsr,depois desta divagaçõo fiquei curiosa com a história do Roarke e Eve Dallas.Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Martinha, minha diva!!!!!!! adoro suas divagações independentemente se o tema for hot ou não, gosto muito da sua sensibilidade!!!!! Confesso que só lí um livro de Nora " A pousada do fim do rio" ganhei esse de presente!!! a Trilogia da Gratidão está na minha enooooooooooorme lista.....mas minha curiosidade está aguçadíssima pra conhecer o Roarke e a Eve, só me falta coragem pra começar... adoro um personagem apetitoso e deleitável..kkkkk

    Bom fim de semana pra vc.!!!!


    Bjussss

    ResponderExcluir
  3. Martinha, kirida concordo e assino em baixo de tudo que tu disse. AMO Nora Roberts, tenho todos os livros na Biblioteca e em casa tenho todos os de banca. Nas triologias o melhor é sempre o livro 2, também olho primeiro a da de publicação do original, vicio de bibliotecária. Eu simplesmente AMO o Roarke e a Eve, tenho pena quando o livro tá chegando ao fim, leio a conta-gotas pra prolongar o final. Tenho fila de espera pra ler a Série. Bjusssssssssss

    ResponderExcluir
  4. Posso dar uma sugestão???

    O Blog tem que bombar para campanha do Jô, mas lemos as Divagações no Lilith e comentamos lá, só depois lembramos que você agora também as posta aqui, resultado, lá são 15 coments e aqui somente 3...
    A partir da semana que vem, o post poderia ser somente no seu blog, e na Lilith você põe a chamada da Divulgação com a imagem sendo um link para o seu blog, assim como leremos aqui,comentaremos aqui também.

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Não se preocupe em não receber comentários Martinha! Dá minha parte eu escreveria milhares sobre a Nora!
    Assim como você tenho ela como minha Diva!
    É incrível imaginar que foi da mente dela que surgi O ROARKE!!!

    Tudo em maiúsculo mesmo porque cá entre nós: O ROARKE é o sonho de consumo de 90 por cento das fã da série Mortal! Só não coloco 100 por centro por causa do Charlie e do Ian que tbm não são de se jogar fora - traduzindo: 2º opções no caso da Eve não liberar o 1º

    Bujus e torça para que eu se eu não encontre o ROARKE pelo menos alguém semelhante!

    ResponderExcluir
  7. Olá, é a primeira vez que posto um comentario, mas não é a primaira vez que leio suas divagações. Acho todas in-cri-ve-is.
    Também amo a Nora Roberts, já li vários livros dela, mas os que mais marcaram foram Mistérios e a Família Mc Gregor.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  8. Martinha, adoro a série mortal, já li inteira, saiu na net, eu faço download e a cada livro que é editado eu compro, aliás compro todos da Nora Roberts. Ela nos faz acreditar no romance, no amor, voce fica feliz depois de ler uma estória de nossa Rainha. Penso igual a voce, não sabe o que ler, vai de Nora Roberts. Beijos e obrigado por mais uma brilhante divagação.Fernanda D.

    ResponderExcluir
  9. Parabéns, Martinha! Adorei suas considerações sobre a minha queridíssima Nora Roberts!
    Como você, eu já havia pensado sobre a possibilidade da Nora ter umas estagiárias auxiliando a compor parte de sua obra, porque é realmente espantosa a capacidade criativa dessa mulher!
    Adoro os romances que foram publicados pela Bertrand e gostaria que a série Mortal fosse publicada com uma frequência maior aqui no Brasil!
    Bjs

    ResponderExcluir