Divagações de Martinha

 

image

Chora que eu gosto

Como me foi requerido há algum tempo atrás, resolvi me sentar na berlinda da criatividade e escrever, ou melhor, divagar sobre um tema muito meloso e dramático. Os mocinhos que derramam lágrimas ardentes pelas mocinhas.

Pois bem... eu acho que cenas literárias que abrangem este tema são extremamente tocantes. Porque os homens são durões, são machos, são poderosos e absolutos. Eles são fortes e destemidos... eles não podem chorar como bebezinhos...porque isso os deixa enfraquecidos aos olhos dos outros...enfim....bla bla bla...lenga lenga dos infernos, porque na verdade, demonstrar emoções através da permissão de algumas gotinhas de água saindo dos ductos lacrimais não vai matar ninguém....salvo à exceção nós, leitoras compulsivas e maluquetes que vibram quando lêem uma ceninha nesse porte.

Eu confesso que me amarro... heheheheh...alguns livros me fazem ficar tensa, nervosa pelo fim derradeiro, arredia, irritada e ansiosa. Alguns livros me deixam roendo unhas....literalmente...os livros da Judith McNaught fazem essa proeza por mim...são livros tensos, cheios de momentos melodramáticos, possibilidades mil de lágrimas furtivas...as mocinhas choram horrores, se elas soubessem o quanto de rugas isso poderia rolar elas não chorariam tanto...enfim, vai saber né?! A Tia Juju se amarra em momentos klenex...e falando nesse lance, vocês já repararam que nunca rola um nariz vermelho inchado e abarrotado de melecas flutuantes depois de uma crise de choro? Hahahahahah...

Tá. Não quero acabar com o clima pós-romântico que eu criei para destrinchar este tema. Os Homens chorões. Que fofo! Quando eu leio uma cena de homem chorando, seja com lagrimas furtivas, seja com soluços sacolejantes, eu tenho uma vontade tão grande de chorar juntooooo...auonnnnn que dó que fico, gentem! Sério...alguns livros trazem uma carga dramática tão intensa que de repente que vejo meus olhos marejando...e eu não sou um ser muito fácil de chorar. São poucos os filmes que conseguiram a proeza de me obrigar a limpar a gotinha insistente que quer descer a qualquer custo pela face.

Judith McNaught é campeã mor em criar cenas dramáticas com mocinhos se derramando...em Agora e Sempre, nosso sempre turrão Jason Fielding não chora no início do livro quando recebe a notícia fatídica da morte de seu filhinho que havia sido roubado por sua esposa periguete, que foi para o brejo também. A linha diz claramente que ele não derramaria uma lágrima, desde sua infeliz infância cheia de traumas e tchururu. Porém, ao final do livro, um infortúnio cheio de confusão o faz receber a notícia de que sua Tory, a nova esposinha charmosa e fofolete, havia passado desta para uma melhor, afogada nas correntezas do lago... minha santa....o moço chorando e urrando de dor foi demais. Meu coração se confrangeu e ficou em frangalhos. O momento doidinho e lelé da cuca então, quando ela volta e ele pensa que está alucinando então... affff...chorei...

Daí, nós pulamos para outro grande romance dela... Um Amor Maravilhoso...o Jordan mega fofo, porém estúpido pra cacete, briga com nossa heroína trazendo à carga toda uma situação constrangedora em que uma bala culmina na cabeça da mocinha, nossa Alexandra. Ela pula na frente dele para receber o balaço em seu lugar. Uou... que sentimento forte...já aí a gente lê e fica tensa...então o desenrolar dos fatos se dá com ela no seu leito de morte, já desenganada pelos médicos e tal. O doctor manda o Duque ir se despedir... ele vai e chora....e chora e chora....até quando eu reli este trecho pra poder relembrar e divagar pra vcs, eu senti vontade de chorar...ele se declara para ela em meio a lágrimas de desespero e arrependimento. Chora por tudo aquilo que ele descobriu nos braços delas e piriri.... minha santa...me emociono só em lembrar...

As cenas em que o mocinho pensa que a mocinha foi pro beleléu são lendárias... são as mais comuns em apresentar nossos queridos se desmanchando em gotas e gotas salgadinhas descendo por suas faces sulcadas de tristeza ( uou...até a minha descrição foi dramática...)...

E normalmente é nesta hora fatídica que os imbecis percebem que amam a mocinha... tá....porque cargas d'água os cretinos não perceberam antes, né não?! Sempre tem que dar valor ao famoso ditado só dar o devido valor quando perde... fui repetitiva no lance de dar o devido valor e tal....mas é a verdade da coisa...os carinhas, highlanders saradões, guerreiros destemidos, milionários posudos, vampiros suculentos...só dão valor na criatura feminina ao lado deles depois que as bichinhas tem que sofrer todo tipo de terror e dor? Why? Por quê? Vamos acordar meus amigos...

O Garon Grier, o Homem da Lei, chora quando percebe que Gracie poderia nunca mais voltar da cirurgia para ganhar o bebê que carregou a todo custo por ele... ele chora e eu que senti profundo ódio por ele durante uma boa parte do livro, me deixei sentir peninha do homem...foi tocante a cena. E outros cowboys parrudos e truculentos choram em outros livrinhos...

Acheron, o Ash nosso de cada dia dos Dark Hunters, chora ao perceber que caiu numa armadilha medonha da Artemis e ataca nossa mocinha Tory... ele chora aos cântaros... Outro vampi tudibão que chora é nosso Wrath, quando ele pensa que poderia ter perdido sua Beth. O Z chora o V chora... todo mundo ali chora...eita lasquera!

O fofinho do Alaric dos McCabe chora quando leva sua heroína em seus braços para se despedir do por do sol... milagrosamente a mocinha revive em seus braços, quando ela pensa que outra mocinha periguete pode abocanhar o seu bofe másculo guerreiro ( essa é uma suposição minha, tá?! ) .

A Carole Mortimer faz um milionário cair aos prantos de arrependimento por ter perdido sua esposa querida que saiu e depois voltou e perdoou e pronto... coisas de romances...nos romances sempre fica mais fácil perdoar as coisas...

Lisa Marie Rice faz mocinhos chorões... em Protectors 1 , o gatienho chora ao reencontrar uma irmã perdida...affff...que gracinha...são mocinhos durões e possessivos que deixam a lágrima teimosinha cair....eu acho lindo...

Em alguns livros os mocinhos tentam disfarçar de maneira interessante a presença da gota maldita. No livro A esposa Virgem, da Deborah Simmons, o mocinho fala descaradamente que a fumaça deve ter irritado os olhos dele... sei...

O Darius de Fogo Sombrio, dos cárpatos chorou lágrimas de sangue quando a mocinha estava no momento transformação e sentindo dores horrendas pelo seu sinuoso corpo. Na verdade, os cárpatos são uns fofos chorõezinhos... eles liberam legal as emoções e deixam as lágrimas vermelhas fluírem...e já que gostam de sangue, será que eles lambem as lágrimas e mandam elas pra dentro de novo??? (dúvida divagante essa...)... O Mikhail chorou algumas vezes pensando que sua Raven estava indo para o brejo... ohhhh tadinho....

O Mark "gigante da floresta" de Passion, da Lisa Valdez chora... no colinho da Passion. E outros mocinhos também fungam no colinho de suas amadas... Uma coisa que não me recordo muito bem é se algum mocinho já chorou dando... se é que vocês me entendem...tipo na hora H...eu acho que já li um livro onde o mocinho derrama seu pranto singelo na hora do créu...tipo..uma lagriminha atrevida que cai bem encima do rosto da mulher....eu tenho certeeeeeeza que já li um livro com uma cena desse tipo, mas não me lembro de jeito nenhum! E isso me persegue...

Enfim, guerreiros, highlanders, cavaleiros, duques, condes ou marqueses. Cárpatos, seal's, vampiros gostosos ou cowboys suados fedendo a bosta de cavalo. Todos eles já passaram alguma vez pelo momento Klenex... aquele em que rola uma fungada crazy no nariz e limpando as lágrimas com a manga da camisa...ou no saiote ou roupa das mocinhas...no colo, no cangote, na curvinha do pescoço. Ai...que delícia...vou ali catar mais um livrinho com homi chorão pra me emocionar...

Depois a Lili vai acrescentar abaixo uma listinha de livros com mocinhos que choram, sequestrado muito gentilmente da comunidade das garotas do Adoro Romances , não esquecendo também que Lili tem esse marcador no blog. Agradeço as gurias queridas que me enviaram email muito gracinhas com trechos de livrinhos e as cenas lacrimosas.

Agora vamos ao momento brinde...

clip_image001

Essa foto desse moço querido circulou em nosso grupo facebucal...muito fofo...senti uma vontade medonha de consolar o rapaz...

clip_image003

Olha essa lágrima deslizante...que fofo...o que será que trouxe essa dor a este rapaz tão simpatiquin?

clip_image004

Momento drama, segurando lágrimas e mordendo os dedos...algo colocou esse amigo ai acima neste compasso...

clip_image006

Ou este cowboy delícia está chorando pela perda da mulher amada, ou um capim ingrato acabou de entrar no olho dele e o paparazzi tava ali bem na hora pra registrar...hahahahahahahah.... Percebam que o cavalinho está encarando o paparazzo...hahahahahahah...

clip_image007

Johnny Fofo Deep chorando...ainda bem que ele estava sem o lápis de olho tão característico de seu personagem Jack Sparrow....se não fosse de boa qualidade, era lágrima de petróleo na certa...

clip_image009

Noooooossa....esse aí tá arrasado! Coitadinho...até caiu no chão, desconsolado...o que será que aconteceu? Sei que foi repentino, porque não deu tempo nem de colocar uma camisa...a gente não reclama, claro...

clip_image010

Eis aí um bebê chorão...que fofo...não creio que isso seja um suor...tá muito certinho ali...tudo bem que o ducto lacrimal fica na frentinha do olho, mas às vezes esse aí transbordou, né?! Hehehehehe...

clip_image012

E por último, mas não menos interessante, o mocinho em pose muito interessante, olhando não sei pra onde, pensando em não sei o quê, e deixando uma lagriminha sorrateira. Que fofo...

Bjuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

1 comentários: