Rússia que Pariu!


Esqueçam os Cowboys do Texas. Isso é coisa do passado. Houston agora é território de homens perigosos e muito sexies que falam russo. Seeeeexy demais. O babado agora é a Máfia Russa.



Capas Sexies...
Esqueça esses filmes que você já assistiu que colocam uns mafiosos russos feios pracarái... aqui o negócio é distinto. Os machos alfas são tudibão. Só tem bofe lindo e sarado, daqueles com gomos compactados em seus abdomens, bíceps ultrajantes e ombros largos. Os pobres mortais que convivem na periferia devem se sentir o Ó. Porquê, valei-me...

ЕБАТЬ (YEBAT')... ← Palavrão em russo, muito usado em nosso amado português, com o intuito clássico de hiperbolizar um bagulho... ( É Caralho, by the way...).

 
Yay! Tragam os bofes!!
  
Enfim... onde eu estava com minha cabeça quando resolvi atacar essa série da Roxie Rivera, hein? Com certeza eu estava em um lugar tranquilo e sem crimes hediondos, muito light, com histórias florzinhas e tchururu. 

Mas daí, repentinamente, eis que a vontade fala mais alto e eu caio matando no mundo do crime. Literário, claro.

Como eu disse... macho alfas, mandões, cheios de testosterona, possessivos, ciumentos e rabugentos, só são legais nos livros. Ao vivo a coisa muda de figura. E nesta mesma vertente, machos alfas marrentos, maus pracarái, que não hesitam em descer a porrada sem dó, usam uma arma de fogo como se fosse isqueiro e manobram facas com muita aptidão, só são sexies nos livros. Certo?

A série da dita autora, Her Russian Protector, é quente. Em um sentido muito interessante. Não é uma série pornograficamente detalhada, mas é hot. E por incrível que pareça, é um hot até light, se compararmos com outras tantas séries eróticas por aí.

Catei um livro para ler, que está interligado ( eu e minha mania de ler séries interligadas...), chamado In Kellys Corner, da série Fightings Connollys. Lembra que falei que estava na vybe de livros com lutadores? Minha entrada no mundo do crime e mafiosos apetitosos deu-se repentinamente, quando percebi que esta série apresentava os personagens da outra e ... baaaam... caí de amores.

Outras opções de capas do Quarteto

Lutador sexy...
Dono da Academia... seeeexy


Irmão sexy e atormentado...

 Peguei o Ivan ( no bom sentido), depois caí matando no Dimitri, para logo em seguida atacar o Yuri, para mais à frente, finalmente, pegar o mafioso poderoso mor, tipo Al capone de Houston, Nikolay.
Vejam bem... a série é extensa. A autora ainda criou contos que se entremeiam no babado, com o intuito de fazer você matar saudades que porventura possa sentir...
Porém, o foco principal são estes 4 amigos russos citados aí acima...

Eu tenho amigos russos... o Mika e o Miyuri, e se vc me perguntar depois, esclareço direitinho esta história... avisando de antemão que é zoada. Mas enfim, onde eu estava? Ah, claro... nos delícias...
Vejamos... Ivan e Nikolay, o poderoso, são temidos em todo lugar. Ivan conseguiu se safar do mundo do crime, mas ainda assim, treina lutadores para estes ringues do submundo, onde a morte pode ser certa. Então, acaba sendo um tanto quanto contraventor. O Nikolay, ou lindamente chamado de Kolya ( leia-se Kólya... passei o livro inteiro chamando de Kolaya... mas enfim... imaginem que é um lance assim: Jose= Zé. Nikolay+ Kolya ), é o chefe da máfia russa em Houston. Mas ele é temido em todo canto do país. Seus tentáculos poderosos têm um longo alcance e as pessoas se K. H. – ão ( conseguiu decifrar meu enigma de palavrão?) de pavor quando ele surge.
 
Pense nestas mãos como do Nikolay.

Uma das características que vc tem que observar é que a máfia russa exige que seus asseclas tatuem seus corpos com os registros dos crimes e contravenções que tenham feito. Além das tattoos básicas dos presídios onde possam ter feito morada. Logo, Vanya ( leia-se Ványa, apelido do IVAN) e Kolya, o poderoso Nikolay ( adoro esse nome... parece nome de vampiro chefe, né?) tem os corpos tatuados de cima abaixo, inclusive nos dedos, fazendo com sejam destacados pelos crimes que cometeram em nome da família.
Yuri e Dimitri, já são mais trancs, de boa na lagoa... se você contar que Yuri é tipo um mega bilionário ultra power blaster e Dimitri também não é ruim de grana.
Típica história de 4 amigos que se amam como irmãos, viveram juntos em um Orfanato na Rússia, fugiram juntos do inferno, e tiveram suas vidas divididas entre o crime ( Ivan e Niko) e o exército russo ( Dimi e Yuri... sentiram a intimidade?). Saíram da pobreza e superabundaram na riqueza extrema...
Porém, mesmo com esses percursos de lado do bem e do mal, eles nunca se separaram e vamos combinar... um usa a influência do outro, quando há necessidade. Preciso dizer que se um deles precisar botar medinho nos outros, o objeto em destaque é o Nikolay? Nyet.



Momento análise de tatuagens...
Quanto mais tattoos, mais perigoso o cara é...

O Importante é contar os gomos, figo, desenhos...
Tatuagens nos dedos revelam o mundo do crime...
Isso, meu filho... reza pra não achar uma mocinha legal...



Lá se vai... vou fazer minhas considerações russas:


* Se você fica ouriçada com mocinhos estrangeiros que têm sotaque, prepare-se para se deliciar com estes daqui. Você vai ler o livro e querer aprender algumas palavras em russo... ou pelo menos tentar ensinar pro teu bofe, pra que ele te chame assim... eu me dei bem, porque meu marido falando em inglês, parece realmente um mafioso russo ( o sotaque dele é weirdoooo... esquisitão... hihihih ), então, vou colocar o maridis pra me chamar de Lyubimaya Moya, que significa Minha Amada. Awww... que fofo!


É tipo isso... bateu o olho... foi.


* Você vai ficar arrepiada quando escutar o mocinho falar: Da. E não pense que é o nosso Daaaaa... não. É um simples: Da. Tipo: Vc me ama? Da. Aiii... que frisson esse sotaque me causa...

* Vai ter sorte lá na casa do chapéu... aqui você tem 4 amigas super leais e bacanas que acabam caindo na graças dooooos... 4 russos gostosos e com grana... Eita, lelê! Até rimou! Onde que no mundo tem 4 bofes amigos soltos como esses? E ainda dando sopa de boa pra 4 amigas solteiras e à caça? Só nos livros, Radnáyas...( queridas).

* Histórico muito interessante das amigas: as 4 tem problemas sérios com irmãos ou parentes próximos, tipo papi e mami. Mas por favor... quando digo problemas, não estou dizendo uma  briguinha à toa. Estou dizendo : irmãos drogados, inseridos na criminalidade, gangues, pais bandidos, mães filhasdapuuuuca, essa desgraceira toda. E claro que acabam fazendo o papel das donzelas perdidas e necessitadas de proteção. Daí a série se chamar Her Russian Protector ( traduzindo feiamente para O Protetor russo dela...hein?).

* Mais uma vez temos casos de mocinhos que não tem um pingo de problema em assumir o amor que sentem pelas fofoletes. Falar Eu Te Amo é muito light e não rola aquele conflito interno com eles, saca? Só senti falta de um Ya lyublyu tebya.


* Outra coisa que amei... Os caras sabem pedir perdão e reconhecer quando fizeram merdiiiiienha... e as mocinhas não são insuportáveis e pentelhas. Se rola um desentendimento, eles conversam, esclarecem e fazem um sexo selvagem danado de bom de reconciliação...


Sim, sim... quem não?

* Mais uma série onde os mocinhos são abastados pacaráaaai, e não somente no aspecto físico, mas financeiramente... daí, eles querem oferecer tudo do bom e do melhor para suas amadas... o que as mocinhas fazem? "Não quero." Aaaaah.... vá se lascar... aceita logo saporra aí e cai matando, criaturassss!!! Um dos diálogos mais bacanas que li foi exatamente a explicação para os caras quererem dar as coisas para elas. Ou simplesmente quererem colocar 6 mil bodyguards sexies e gatos guardando as vidas delas ( só em livros os guarda-costas são todos gatos...). "Se eu te amo, e te prezo, eu quero te dar o melhor de mim. Quero te agradar e me faz feliz ter a oportunidade e o poder para lhe proporcionar isso." ( Não foram essas as palavras, pq essas aqui eu criei, mas foi com esse intuito aí...).

* Uma das cenas clássicas que acontece aqui é: os caras são muito pacientes. Eles são uma rocha dura e áspera por fora, mas por dentro são adoráveis docinhos de coco. E eu já disse antes: esqueçam o estereótipo de russos bandidos e fétidos, que já chegam e traçam as mocinhas na maior brutalidade... nope... aqui os gatênios são singelos e bem educadinhos. Eles esperam as ladies estarem prontas para o créu. Uma prática comum? Enquanto não rola a perfuração bombástica nos Países Baixos, os casais fazem uma espécie de Self Masturbation, sabe qualé? Um apalpa o outro simultaneamente e Bimba! Chegam ao orgasmo loucamente... parece coisa de teenager em Drive-In, mas tudo bem...


Os caras são tãaaao meigos...

*Uma das especialidades destas mocinhas destes livros é a habilidade que elas têm de ordenha. É um bagulho impressionante. As minas "ordenham" os badulaques de seus machos, sacam? Pelo menos é assim que a autora gosta de descrever o ato. E aí, nesse quesito, eu já vou logo para o momento divagante, onde minha mente pensa em vacas sendo ordenhadas e tchururu. Nada sexy. Fora que... uou... essa musculatura do assoalho pélvico dessas minas está de parabéns, viu? Clap, clap pra elas. Fico na expectativa de alguma dessas mocinhas ainda conseguir fazer o pau de um mocinho refém. Tipo. Travou a bichana e pêi! Só solta quando quiser. Hahahahah...

* Um dos detalhes que mais gostei nessa série é o fato de que a maioria das mocinhas é latina ( adoooooro... pelo menos as morenas aqui tem vez, neh? Porque romances históricos só dá pra loiras e ruivas... ). Como a história se passa no Texas, rola uma influência grande dos padrecitos mexicanos... então as mocinhas tem a pele dourada ou morena, com a latinidade ardente em sua sexualidade... adoooooro... Imagina... contraste show com os russos sexies.



Casal do primeiro livro...


A Padeira sexy. É dona do Dimitri...

A Relações Públicas chique e poderosa. Yuri come na mão dela...
Teoricamente o casal principal. O Chefe da Máfia e sua Rain


* Mais um aspecto interessante no quesito sexualidade latente: os mocinhos curtem uma participação ativa no babado. Enquanto estão no ato, eles mesmos guiam as mãos delicadas de suas mocinhas, para que apalpem suas pérolas preciosas ( leia-se clitóris.) . E aqui entra minha indignação. Pérola? Dando um oi? Surgindo no meio das águas tempestuosas de suas pirikitas ardentes? Pelamoooooor.... Fora que aqui as minas produzem Néctar... affff....

* Esses mocinhos são tão intensos, mas tão intensos, que até na hora do beijo eles usam armas brancas. Tipo... quando a autora descreve os beijos, é sempre algo assim: "sua língua esfaqueou a minha." "Nossas línguas se apunhalavam..." Mas, zeeeeeenti... quequeilson... só consigo imaginar as línguas dos caras "esfaqueando" mesmo...

Ui... chega deu um calorzinho...

* Um aspecto interessante nas narrativas. Os livros se intercalam assim: Quando a ênfase é nas mocinhas, o Ponto de Vista é delas e a narrativa é em primeira pessoa. Quando a cena é dos mocinhos, o narrador está em terceira pessoa. No início você fica meio noiado, achando que a autora viajou, mas depois vc percebe a sacada dela. E achei muito interessante. Pelo menos agrada aos dois públicos leitores... não haverá desculpa para a pessoa dizer: "Não leio em primeira pessoa"... e por aí vai.

*Mais uma vez temos os casos das mocinhas que gostam de levar umas palmadas na hora do "iskema" e justificam que suas leituras de romances eróticos criou uma sanha no assunto. Só uma mocinha até agora se recusou a levar uma palmada no traseiro. Hahahaha... inclusive, o livro do Dimitri, tem uma cena muito interessante... esqueça o quarto vermelho da dor... aqui você vai conhecer o armário de mogno da dormência... o mala instalou um balanço do sexo dentro do armário!!! Então... ou esse armário é enooooorme, ou sei lá... fora que ficou estranho... vou entrar ali no armário... espera... agora vou sair do armário... dúbio...
Mas enfim... foi intenso... Christian Grey vai querer dar uma telefonada pro Dimi e pedir umas dicas sobre o babado...

Calorzinho chega no útero... te garanto...

 * Teve um diálogo que quase rachei de rir... muito provavelmente eu devia estar lendo lá pras tantas da madrugada e os olhinhos pregaram peças... Eles estão em um restaurante ou na cozinha de alguém, sei lá... e a mocinha pergunta :
"Já comeu Migas?" ... juro que comecei a rir e pensei: "Miga, sua loka... tá dando pro russo e nem me conta, é?" Hahahahahaha... Mas parem com a safadagem, porque esse Migas aqui é um prato típico de algum lugar aí...

*Mocinhos nem dão muita bola para as peitcholas das minas, sabia? Eles são realmente obcecados com os Países Baixos... curtem mesmo uma pirikita alegre e uma bunda boa de se olhar... ou estapear... whatever. Como as mocinhas são latinas, imaginem aí umas bundas do tamanho da Jay Lo... me recuso a pensar em Kim Kardashian... me recusooooooo!


* Eu particularmente adooooooro livros onde a mocinha sempre está em perigo iminente, onde um perseguidor, bandido sorrateiro ou gangster maldoso quer usá-la como alvo e atentar contra sua vida. Adoooooro... e quanto mais perigo e risco a mocinha corre, melhor. E se ela for sequestrada, quanto mais machucada e necessitada de cuidados médicos ela tiver, melhor ainda!!! Então, preparem seus coraçõezinhos se vocês amam isso tanto quanto eu... porquê aqui rola ação do início ao fim.


Não importa o tamanho da arma... espera... importa sim!

* Vamos combinar... a autora é muito inteligente porque ela não se ateve ao sexo selvagem para te prender n história... Ela criou um mundo imaginário, histórias complexas, passados obscuros, crimes dignos de CSI Miami, além de ganchos fantásticos entre uma história e outra. Eu totalmente me amarrei... pensando até em escrever uma história meio dark que se passe no submundo do crime... hihihih... SQN... É muita tensão... É capaz de eu começar a escrever e já ficar atormentando "a mim mesma" para a ação rolar e o livro chegar ao Grand Finale...

Uma das coisas interessantes que eu acho no mundo da literatura é o fato de você poder conhecer novas culturas, idiomas, ziguiziras, curiosidades e etc. No caso aqui, vale deixar registrado e fazer vocês divagarem em caso de algum dia se depararem com o mundo russo novamente ( espero que menos o mundinho da Máfia...). Os sobrenomes dos homens quando passam para as mulheres, recebem um a no final. Tipo assim... Nikolay Kolsnikov. A esposa adorada dele vai se chamar Vivian KolsnikovA. Sacaram? Sharapova. Navratinova. Kurkova. Quando você se deparar com este A no final, é porque é uma mina. O que significa que nunca vc vai achar um russo chamado Ivan Kurkova. A não ser que ele esteja passando por um leve distúrbio de personalidade...

Deixo a dica:  Livros cativantes e que prendem do início ao fim. Da!!! Você vai conseguir largar? Nyet!!

Se eu fosse avaliar por nota, eu diria que:

Ivan é lindo. Shooow.
Dimitri é gato. Lindoooo... livro mara.
Yuri é... Yuri... caiam matando.
Nikolay é MEU. Já me apossei. Se eu tô divagando e apresentando a máfia procês eu quero ter pelo menos o privilégio de me sobressair no mundo do crime.
Sergei é fofo. Mas a mocinha é um angú. Nem quis ler... mas vou acabar lendo de qualquer jeito... 
Alexey... vou pegar... no bom sentido.
Kostya... o mais esperado de todos...

Fora estes, que saem do quadrante dos 4 cavaleiros do Apocalipse Russo, vc vai ansiar com todas as suas forças pelos livros dos outros mafiosos da família, além dos Bodyguards sexies e gentis... hihihihi

Удачи!  ( Boa sorte!)

До свидания ( Da- sví-dá-ní-yé )... que significa Tchau!


  
 
Suuuper indico!





Felomenal

Cara... eu funciono por épocas. Tem época que só leio livros históricos. Tem época que só leio livros de cowboys, MC's, CEO's (tá... esse eu ando evitando...), universitários, jogadores, dominadores (opa... esses aqui pedi o divórcio...), darks, florzinhas e etc.
Essa semana que se passou eu adentrei no mundinho dos lutadores. Lutadores de qualquer coisa. Espera... menos de Sumô, porquê não há nada de sexy naquela fralda fio dental...
Okay... catei Vi Keeland, catei uns outros sem razão alguma e catei uma duologia da Michelle A. Valentine. E vou ter que confessar que estes últimos a escolha aconteceu por causa da capa. Confesso totalmente. Hehehe...


Enfim... o primeiro livro se chama Phenomenal X. O X aí vai para o nome do bofe fodástico. Sigla para Xavier, que se você procurar saber a pronúncia correta, lê-se "Kzeivier". Essa última informação é só pra complementar a Divagação em vídeo que vou soltar com os nomes esquisitos que aparecem nos livros e como se pronunciam.

Olha... o cara é um gato. Só a capa já matou de pau. Daí você percebe que a autora deve ter se inspirado realmente no Roman Reigns, aquele primo fabuloso do The Rock. A descrição bate exatamente com o elemento citado. E vou te falar... que elemento. Vale à pena ler só por conta da referência... hehehe...

Resultado de imagem para hard knocks michelleResultado de imagem para hard knocks michelle


Sem muitas surpresas, é obvio que você já deve ir pronta para um mocinho com passado tenebroso e traumático, que descarregava sua fúria com seus próprios punhos na adolescência e que depois vê sua vida tomando um rumo diferente através de um fato específico.

A maioria dos romances com lutadores acontece assim. Há algo de sórdido em um bofe que gosta de chutar os outros no saco, descer o cacete no outro, quebrar o nariz alheio e ostentar aquela massa de músculos.
Eu acho que isso é sexy só nos livros, porque existe toda uma reviravolta onde o mocinho encontra o caminho da luz e acaba ficando milionário. Vamos confessar que tal qual nossa ânsia por mocinhos dominadores, os mocinhos violentos também figuram o Top 10 dos mocinhos fodásticos e fantasias da maioria das leitoras. Como eu disse. Isso é sexy apenas no mundo literário. Na vida real eu não sei se a coisa tem tanto glamour quanto as autoras gostam de deixar transparecer. ( Pensem sempre nas orelhas de repolho...).

Okay... Xavier Cold é um cara fenomenal. Dentro e fora dos ringues. Ele é um lutador de Wrestling, ou pode dizer Luta Livre, só que a diferença é que suas lutas no ringue são coreografadas. Sabe aquelas lutas meio fakes que a gente vê de vez em quando? Tipo isso. Não é MMA, onde a porrada corre solta mesmo e quanto mais sangue tirar do oponente, melhor.

Obviamente que ele é o grande campeão da parada e bofe cobiçado pela mulherada. Pelamor, né? Colocar um lutador feio e assustador não cola. Embora na vida real eles sejam assim em sua maioria... 

Entonces... daí voltarei ao gato depois. Depois que eu meter o pau na mocinha mais chata de todos os tempos. Nem consigo definir se ela barrou o nível de chatice da Anachata Steele. A criatura do pântano tá fugindo de um pai religioso e dominador, que quer casar a bichinha a todo custo com um rapaz de bom coração e isento de pecados.

Anna ( olha.. que coincidência... ela é Anna também...) tem 21 aninhos e sai da casa dos pais em Portland, Oregon e vai para a casa da tia porra-loka em Detroit, Michigan. Se você for observar o mapa dos USA, vc verá que ela cruzou o país. Tipo... queria dar distância meeeeesmo.

Então... no voo, a criatura acaba tendo um pequeno incidente e cai nas graças do bonitão Xavier, que a convida para sentar-se ao seu ladinho na Classe A. Uhummm... sei... cara... com a política das empresas aéreas e o preço exorbitante das passagens na primeira classe, a coisa não funciona assim com essa simplicidade, mas a licença poética permitiu à autora fazer o que ela fizesse. Hihihihi...

O gato não disfarça o interesse em entrar nas calcinhas da pacata mocinha. Isso fica nítido. A troca de diálogos é intensa. Este é o mote da história. O resto pode ser deduzido por nós mesmas. A mocinha refuta esse avanço, se treme da cabeça aos pés porque o cara é gato pracaraaaaaaleo, mas diz : Não... não... não posso...

Resultado de imagem para hard knocks michelle

Telefone esquecido com bolsa e tudo, eis aí a chance para um novo encontro. O bofe meio que vira um perseguidor fantástico e passa a visitar a donzela todos os dias. Claro que ela arranja um emprego de garçonete em algum bar funesto e sempre precisa ser resgatada dos avanços indesejáveis de outros elementos do sexo masculino. Coincidência é que estes elementos sempre são gatos também. Sortudinha...

Okay. Vamos lá. O cara é famoso, celebridade no mundo dos esportes e a mina não o reconhece. Beleza. Só devia assistir Discovery Kids em casa. Vou dar esse benefício da dúvida pra ela. O cara pode ter qualquer mulher pendurada em seus braços musculosos, mas cisma que quer a mocinha jovial e pueril. Percebendo que ele não é bom para ela (momento Edward Cullen...), ele não consegue se afastar, mas propõe uma amizade, mesmo que nós saibamos que essa amizade vai dar em lençóis emaranhados e gemidos roucos.

Sassinhora das moçoilas pentelhas... que mina chata. Vou explicar por quê:

*A criatura do pântano passa o tempo todo resmungando que fugiu da casa dos pais porque precisa viver uma vida longe de amarras e tal. Ela quer curtir a vida ao máximo, aprontar horrores, ter experiências libertadoras e sair do casulo em que vive. Ela é a típica lagarta pedindo pra virar uma borboletinha feliz e saltitante.

*Ela mesma propõe a amizade, mas passa o tempo todo cruzando e descruzando as pernas de tanta excitação nas zonas baixas quando vê o gato. Tem tremeliques sempre que uma mão encosta aqui. Tem sonhos eróticos e molhados ( tomara que na verdade não tenha sido xixi na cama) e morre de ciúmes se o cara tá com alguma mulher perto. Mas quer ser só amiga. Mas se abana toda hora... deve ser a menopausa...



*Gata... eu quase gritei: Filhaaaa.... ou caga ou desocupa a moita! ( desculpe a cena grotesca que implantei na mente de vcs... hihihi). Tipo... quer ou não quer? Quer? Pega logo. Não quer? Larga o osso. Amigo que é amigo e quer ficar na  friend zone não pode se achar no direito de ficar putinha porque o bofe tá passeando em outro gramado.

*O inverso serve para ele também. Ele quer a mina, não esconde isso, mas ele mesmo fala que ela é muito pura pra ele. Que ele é a escuridão e tchururu. Pensei até por um instante louco que eu estava lendo algo meio sobrenatural...

*A mina passa o livro inteiro perturbando o rapaz querendo saber o passado dele. E não importa se ele fala que não fala sobre o assunto, a criatura vai lá e fica pentelhando. E porraaaaa.... isso com uma amizade recém iniciada de apenas uma semana de vida! E a bicha ainda se sente no direito de ficar puta porque ele não quer compartilhar informações. É tipo: "como poderemos ser amigos se vc não confia em mim e me conta sua vida inteira?" Oi? Tá loka? Comeu cocô estragado? Desde quando amizade deve ser medida por parâmetros invasivos desses?

*Okay. Eles decidem pular a Friend Zone ( foi rápido, né?) e caem matando um em cima do outro. Ah... mas pera... os acontecimentos são tipo muuuuuito surreais. A mina perde o emprego, daí o bofe oferece o posto de assistente pessoal, sendo que a anterior ele traçava, mas dispensa porque fica gamado na pudica. Claro que a assistente anterior é uma periguete de marca maior que vai infernizar a vida dos dois. Não seria um livro bom se não tivesse esse elemento surpresa. Uhummm...

*O cara vai para o campeonato nacional e leva a mina. O hotel não tem dois quartos e os dois são obrigados a dividir. Tcharaaaam! Adivinha o que acontece? Nada. Por enquanto. A mina fica lá no modo repórter investigativo super invasivo dela e o moço fica puto e vai arejar a cachola. Na volta, rola um pedido de desculpas daqui, outro dacolá e Boooom... sexo selvagem e intenso. O Oscar de periquita de ouro vai para a mocinha pudica do caralho.

faint pass out miss france 1989


*A mina não é virgem, mas deu apenas uma vez e a long time ago... mas tem a perseguida de aço inoxidável que praticamente suga como um torno o membro afoito do rapaz. E wow! Vou te falar.... essas periguetes de livros não estão com nada, porque as minas franguinhas conseguem desbancar geral. Chupaaaaa.... bitches!

*Preciso falar que o cara é da equipe dos descamisados? Que pede pra entrar e sentir a textura interna das paredes do assoalho pélvico ( poha... essa ficou esquisita... parede do assoalho...) da mocinha? Que diz que nunca fez isso antes? Que está limpinho porque sempre faz testes? Hein? Claro que não. Você já deveria estar esperando isso.

*Então... onde eu estava? Ah, sim... lá no campeonato. Cheio de machos suados e musculosos. Monstros violentos e assustadores. A franguinha deveria estar atemorizada, mas de repente, do nada, se vê envolvida em uma teia e pêi! Começa a fazer parte do show. Os roteiristas fazem com que ela assine um contrato e ela faz isso para ficar junto de seu amado amante "Arlindo Orlando". Adeus timidez! vá e não volte mais...


*O primeiro livro termina com uma briga medonha em cadeia nacional e o bofe vai preso. Oi? Não entendi as regras. No MMA o cara pode espancar até o escambáu a quatro, mas nesse o cara bateu tipo um pouquinho além da conta que o show permite e já sai algemado? Como assim, produção?

*O que não dá para explicar é a sequência. O cara é um astro dos esportes, mas de repente, por conta da briga e da multa que tem que pagar de 150 mil Obamas ( leia-se dólares), fica meio que na pindaíba e vai ter que morar na casa antiga em Detroit, que fica em um bairro barra pesada e lhe traz recordações de um passado devastador e doentio. Mas antes disso ele depositou 30 mil dólares na conta da mocinha só porque ele quis... e sempre anda de avião na primeira classe, pra cima e pra baixo... daí repentinamente justifica que hotel e outros gastos são feitos por ele. E que com esse rombo ele vai ficar apertado. Mas ele é uma celebridade! Como assim ele ficou apertadinho? ( no bom sentido...).

*Nesse meio tempo a mocinha fica com ele, mas é obrigada a continuar seu "trabalho" de atuação no show, ao lado do infame adversário do X e da periguete que antes era a periguete do X e agora é a periguete do vilão. Cês tão me entendendo? Não? Então... porque é a maior viagem literária... a autora bebeu cerveja demais, estava assistindo Sport TV, ficou chapada e viajou na maionese, criando uma história que deixa um furos para uma mente divagante divagar.


*Mocinha chata que não sabe de nada, mas de repente se acha a salvadora da pátria e anjo vingador de seu amado. What? Mocinho perturbado que não quer compartilhar seu passado triste e traumático e que resolve que é melhor afastar a mocinha de si, passando a não atender mais seus telefonemas...

O X tem que fazer um tratamento intenso para o controle de raiva... isso é claro como água Perrier pra mim. E precisa de uma terapia... e a mocinha precisa ir pra faculdade se formar em psicologia reversa e tentar aprender um pouco mais a lidar com a dor alheia e deixar de ser intrometida.

Olha... eu confesso que terminei de ler porque o cara da capa me "implorou" por isso. Acho que foi a duologia mais sem sal que já li nestes tempos. Mas para que vcs formem suas opiniões, é preciso que vcs leiam e tomem suas próprias conclusões. Pode ser que o que me irritou não te irrite. Pode ser que onde vejo uma situação nada plausível, você enxergue algo fenomenal... tal qual o codinome do mocinho diz. Porque aqui a garantia única e exclusiva é você ficar namorando a capa e se sentir um pouco stalker, vasculhando o google para saber um pouco mais sobre Luta Livre e o gato sensacional Roman Reigns. E talvez emitir alguns suspiros reveladores quando fizer isso... hehehehe... e digo mais... eu que não queria estar na pele da Galina ( eu Galina.. e não galinha... e esse é o nominho da mulher do Roman...)... monte de muléh cobiçando meu macho... cruzes...


Para quem não sabe, a Michelle A. Valentine é a mesma autora dos livros com roqueiros sexies, os Black Falcons.

 Taí pra vcs uma foto dos priminhos ...

Resultado de imagem para wwe roman reigns gifs

wwe wrestling roman reigns

Bjuuuuuu... até a próxima.

O Booommm

O Boomm

Booommm... Foi exatamente isso o que aconteceu com meu computador. Eu fiz uma divagação linda falando sobre o Boom e meu Note levou super a sério, fazendo com que eu perdesse cinco páginas escritas e divagadas lindamente para vocês. Minha vontade era esquecer essa vida de blogueira lerda e partir pra outra, mas como faço questão de divagar sobre o mundinho literário, eu não poderia deixar de apresentar vocês aos magníficos machos alfa da autora Aurora Rose Reynolds.
Obviamente eu não vou conseguir reescrever tudo o que já tinha sido vomitado do meu cérebro, mas tentarei... Vamos lá. Eu comecei mais ou menos assim... era uma vez, o Boom. O que seria o boom? O mesmo que o imprinting que Jacob Black relatava na série crepúsculo, o mesmo formigar de sentimentos que todo livro sobrenatural apresenta, fazendo com que os machos suculentos olhem para a mulher e digam: MINHA. Trocando em miúdos, é como se fosse uma espécie de amor à primeira vista, só que elevado a um nível um pouco mais psicótico.
Aurora Rose, uma autora maníaca por machos alfas, resolveu nos presentear com essa psicose sensual adornada por músculos e um tanquinho digno de lavar roupa. Vou relatar a existência de duas séries interligadas, porém darei meu palpite sobre qual vocês deveriam começar a ler primeiro.

Gifs - Gifs de namorados

O Boom está relacionado aos homens da família Mayson. A série se chama Until e os quatro primeiros livros nos trazem os machos irmãos Asher, Trevor, Cash e Nico. Pense em uma mãe bem aventurada que teve o prazer de parir só filho gato e que com certeza deram muito trabalho com as mulheres da cidade... são estes. Os caras são tipo... os caras. Se vocês curtem machos alfas, e digo alfas mesmo... porque eles deixam os outros no chinelo. Outros caras perto deles se tornam ômega, delta, pi, tau, beta... whatever...
Os caras são a epítome da possessividade. Eles não dão mole. Literalmente. Mentes sujas... hehehe... vejam aqui o que vocês irão encontrar nos livros da tia Aurora:

*Os mocinhos chegam e pegam o que querem sem dar margem para dúvidas sobre a intenção desde o início. Os caras praticamente arrastam as mulheres para suas cabanas (na verdade são casas bem legais e espaçosas) e abrigam as criaturas sem nem ao menos perguntarem se as bichas querem ou não.
image


*Todos eles são extremamente bem dotados. Obvio... se estamos em um mundo literário, a ideia é a autora apresentar um pacote seleto de machos que nos façam dar uma babada maneira. Então acrescente aí vários centímetros, o pacote adorável de seis gomos, o infame v que aponta a direção do pecado, bíceps e tríceps absurdamente inflados, antebraços rasgados de veias, peitorais dignos de nota, bundas redondas e sexies, coxas másculas e musculosas, rodeadas por um belo par de jeans desgastado que deixa o visual mais sexy ainda. Acrescente na mistura as mandíbulas fortes e pinceladas, com olhos fabulosos e sedutores, cabelos sedosos e bacanas, bem como lábios beijáveis e bem delineados. Aquele típico macho alfa que você fala imediatamente quando vê: putaquepariu! Embora coitada da mãe dos caras. Nem teve nada a ver pra ser xingada assim... quer dizer, ela teve tudo a ver, já que pariu os caras, mas enfim... vcs me entenderam...

*Mocinhas estão sempre em perigo de vida ou morte. Perseguidores, stalkers, bandidos, ex namoradas ciumentas do caralho... adooooooro. Um bom livro tem que ter os elementos clichesísticos recheados de momentos marcantes com acidentes, hospital, curativos... mocinhos perturbados preocupados... esses parangolés aí...

* As mocinhas não conhecem a palavra CADEIRA. Por que digo isso? Porque essas loucas tem o estranho hábito de sentar no balcão da cozinha. Um lance bem discreto, sabe? Tipo: pluft! Sentei aqui no granito, tem problema? Você acha que os mocinhos comem mosca? Claro que não. Eis aí a altura perfeita para um encaixe lindo entre as coxas das donzelas. Safadinhos... espertinhas... penso que já fazem isso com segundas intenções. Porque logo depois dali, muito comum a cena seguir com o cara fazendo o momento pochete. Sabe qualé? Ele carrega a mocinha atracada no quadril. Olha... vou dar um clap clap aqui para a performance dos bofes. E das moças também. Sejamos honestas. O cara carregar assim de boa, já tem que demonstrar uma força incrível. A mocinha conseguir fazer uma trava nos tornozelos e ficar lá de boa... uau... coisa de Cirque Du Soleil. Pelo menos pra mim. Nunca consegui executar essa pose.

*Os mocinhos adoram dar um oral básico. Quase nunca recebem, pobres coitados, mas vou te falar... eles se amarram em descer nas minas. Cara... e vai elogiar assim lá na casa do chapéu. Aquela coisa meio constrangedora : "Que boceta gostosa... se eu pudesse almoçaria e jantaria aqui." Juro pra vcs... em alguns momentos achei que um dos caras ia pegar um canudinho e chupar o suco que a mina produzia... valei-me... Pelo menos nos livros não rola um interesse sinistro pelo orifício traseiro. Essa parte eles deixam quieto...

image


*Por incrível que pareça, quase nunca são os mocinhos que salvam as mocinhas no momento do perigo. Assim... eles são super, hiper, mega, blaster protetores e tal... mas na hora H, calha que é sempre outra pessoa que salva a criatura. Parece lance terceirizado. "Alô? Oi, eu não tô na área no momento, será que você poderia dar um help e resgatar minha mulher?" (To só viajando...).

* Os mocinhos não tem um pingo de medo de compromisso. Se o Boom rolou eles carregam as minas pra dentro de casa, vão mudando as coisas delas pra lá e boooom... "casa comigo". E outra coisa... eles não têm vergonha alguma em assumir seus sentimentos. É algo lindo de se ver.

* As mocinhas são ou virginais ou meio inexperientes... e vou te falar... quando os bofes demonstram que querem arrancar suas roupas fora, se elas sentem medinho, os caras esperam, mesmo que fiquem de bolas azuis, até o momento onde "aslokas" sobem nas paredes de tanto tesão e pulam em cima dos caras...

* Os mocinhos são os maiores fazedores de bebês de todo o Estado do Tennessee. Tipo... outros caras que teriam medinho da namorada engravidar?? Aqui não. Aqui é tipo isso... "hey... bora fazer um nenê aí dentro?"

* Típica e clássica cena dos descamisados. O que seria isso? Os caras sem camisa se exibindo a torto e a direito? Sim... isso também... mas tô falando aqui daquele momento lindo onde o bofe fala: "Oi... posso estacionar meu Land Rover aí na sua garagem sem a capa de proteção? Eu tô limpinho... passei no laboratório Sabin dia desses... tá tudo de boa..." E aí vem aquela desculpa infame quando conseguem o que queriam "Caralho... é a primeira vez que transo sem camisinha..." Ahaaam, Claudia... senta lá...

* As mocinhas sempre caem nesse bagulho. E putz... o anticoncepcional sempre fura. Já disse que eles são os maiores fazedores de bebês? Eles levam a serio isso. É sexo todo dia, toda hora, em todo lugar. É um lance catuabístico muito louco. E vou dizer... clap clap para as meninas.

* Dei uma salva de palmas para as mocinhas ali acima. Dou de novo... Porque pela Santa Pirikita Ardente e Irritada... essas garotas são heroínas com super poderes periquitais... vai aguentar o tranco assim lá o raio que o parta...

* Características das ladies: todas tem peitões. Nessas horas fico meio chateada porque como não tenho, passo o livro todo olhando para baixo, conferindo meus atributos, quando uma cena narra algo mais arrojado. Daí é o momento chato da invejinha branca...
Algumas têm os corpinhos violão, com curvas acentuadas, bundas boas de bater e tal. Vou te falar... toda vez que um deles ameaça um tapa no traseiro, vem aquele momento Anastácia Steele, tipo 50 tons, com rolamento dos zoínhos, mordida nas beiças e um tremelique. Sei lá... acho que algumas aparentavam até mesmo um pequeno colapso mais  parecido com um ataque epilético, mas os caras identificavam como : "Hummm... a ideia de levar umas palmadas te excita, hein?"...

* Lembra que falei lá em cima que os mocinhos tem um fling pelas pirikitas? Então... eu acredito piamente que algumas delas tenham na verdade Incontinência Urinária (minha amiga Gladys também acha isso quando as mocinhas são muito líquidas...), mas enfim... os caras encaram como superabundância de orgasmo. E a palavra que eles mais gostam é: "Encharcada".  Cara... vou dizer o que disse pra minha amiga Kiki... os caras colocam a mão atrevida lá nos países baixos das minas e encontram molhado... meu... pode ser um típico caso de "mocinha indo ao banheiro e não encontrando papel higiênico, puxa a calcinha pra cima e molha um tiquinho..." ( quem nunca? Hein? Hein? ) ... daí o cara vai e pensa: encharcadinha pra mim, baby?

* As mocinhas são meio bipolares. Uma hora elas estão quentes e em outras estão frias. Uma hora querem por querem. Em outra... credo. Tomem medicamentos, meninas.


* As ex-namoradas de todos eles dão as caras e todas são psicopatas modelos bitches mega mor... saqualé? Putas... maldosas e invejosas que não entendem porquê os bofes caíram na rede por outra mulher que não elas...

image

* Os mocinhos não tem um pingo de vergonha de demonstrar seus afetos na frente de qualquer pessoa. Meio embaraçoso. Eles dão um beijão de língua dançarina na frente da gal (galera) e derretem os miolos das gurias. Nem preciso dizer que aqui as pernas das mocinhas viram gelatina e muitas vezes os mocinhos precisam carregá-las no colo.

* Uma coisa interessante. Todos os mocinhos tem uma tara sinistra pelos cabelos das mulheres. Eles se amarram em grudar em um chumaço da cabeleira, enquanto a outra mão dá uma pegada mais forte na parte baixa das costas, puxando a mocinha pra um arrocho. Vcs verão que esse é um comportamento típico. Uma pegada mais forte na nuca das ladies também, pra atrair para um beijo áspero e dominador. Uiiii... Outra coisa que eles amam de paixão: agarrar o cós das calças de suas respectivas para puxarem seus corpinhos em direção aos deles. Pegada de macho! Adooooooro.

* Os mocinhos são todos ex-militares. Então... imaginem as peças suculentas. Mariners, Seal's, Operações Especiais... affff...


* Todos os livros tem a presença de algum animal de estimação. Vcs verão que a autora deve ser louca por cachorros...

* A família dos mocinhos é fabulosa. Sogros que toda mocinha pode sonhar em ter. Em contrapartida, a maioria das mocinhas tem famílias pentelhas e cheias de dramas. Os irmãos são super unidos. Um peidou... todos sabem... hahahahaha...

* Mocinhos abastados financeiramente. Adoram comprar carros e coisas para as mocinhas. Preciso dizer que elas ficam putas? Não, neh? E isso me deixa puta... teve uma lá que o mocinho deu um Range Rover. A mina ficou revoltada. Cara! Manda aqui pra minha casa que aceito de boa!

* Os nomes de alguns personagens são realmente interessantes. Fora o nome macho de Asher, Trevor, Cash, Nico (são sexies... confessem...) temos ainda Kenton, Wes, Kai, Sven, Jax... ula-lá... agora as mocinhas... a primeira é November. Isso mesmo. O mês. Lá nos States fica até estiloso... aqui no Brasil seria o ó.
Agora que listei alguns tópicos interessantes, vamos à descrição de cada livro e se preparem para ficar confusas:
A série é interligada. Temos Until, que traz os quatro manos gatos. Daí depois temos Until Her e Until Him, que já retrata o momento Boom dos filhos. Em conjunto à série Until, temos interligado Underground King's, que são amigos fodásticos dos irmãos gostosos. Então te prepara... porque aqui rola um salto de tempo medonho.
Se o primeiro Until se passa em 2013, o livro que traz a filha do casal acontece mais de 20 anos depois... o que nos levaria ao ano de 2033 em diante. Minha mente divagante ficou à deriva, esperando encontrar todo o aparato tecnológico futurístico que vemos, por exemplo, na série Mortal da J.D. Robb. Se nos recordarmos, a série mortal se inicia em 2043 e o mundo é bem diferente do nosso atual. Pois na série da Aurora, o Tennessee continua do meeeeesmo jeitinho... nada de carros flutuantes, roupas cibernéticas e um monte de babados do futuro. Foi meio frustrante. Até mesmo porque eu sempre pensei, quando era criança, que os anos 2000 seriam um lance meio Jetson, sabe?
Okay. Chega de conversa fiada.

Until November : É a história do Asher e da November, que é filha do dono do clube de Strip da cidade. Cool... hahahaha... Pra mim, foi o livro mais chato de todos. A November é um pé no saco, o tempo todo a autora narra que ela caiu em um "nevoeiro Asher". Isso ficou bem repetitivo. O Asher é mandão e possessivo, mas até aí tudo bem. Os dois vivem felizes para sempre e tem cinco garotas, para o desespero do pai, que sabe que vai ter que afastar os machos com espingarda... se ele colher o que plantou, só posso dizer que se fu...
Os dois quase completaram o calendário: November (mãe), July (leia JULAY, tá? Kinen o mês mesmo...), June, May, April e December. Shooow.

Until Trevor: Aqui tivemos o maior caso de transtorno de personalidade nunca antes visto na história desse país... a mocinha, Liz, aparece no livro 1. Lá ela é uma mocinha quieta, reclusa, sem amizades... tímida e dócil. De repente, nesse livro ela virou outra pessoa. Passou a ser irritante pra caraaaaaaalho... mas essa é minha opinião... pode não ser a de vocês.

Until Lilly: Aqui temos o livro que realmente curti. O Cash é um fofo, mas faz uma merdieeeenha fenomenal, engravida duas minas ao mesmo tempo. Não preciso nem dizer que uma delas é uma bitch total, neh? Enfim... aqui rola um período de tempo de afastamento, mas quando se reencontram... Boooom... de novo. Ele praticamente sequestra a mulé pra dentro da casa dele.

Until Nico: Nico, Nico... seu lindo. Esse livro aqui eu amei. Fora o fato do mocinho ser um tanto contraventor e atuar como caçador de recompensas, ele é todo tatuado e sexy. A mocinha é bibliotecária, mas naquele estilo mega sexy, fantasia de todo homem. Os caras fantasiam com bibliotecárias e enfermeiras, neh? Aurora não deixou isso passar. Essa mocinha aqui tem uma tara por lingerie sexy e por roupas estilosas, embora não se sinta à vontade perto dos machos. E uma das cenas que mais ri foi uma que o Nico encontra o celular dela e na hora de devolver ele pergunta de o cara da proteção de tela dela é o namorado. O cara era ninguém menos que Jamie Dornan, o Sr. Grey. A resposta da mina: "bem que eu queria"... hahahahah... Nico viu vermelho... hummm ... quartinho vermelho... remeteu... Foi o book que mais gostei.
Daí agora lembra que falei que tem uma série intercalada? Estilo a Diana Palmer com os Homens do Texas e os Soldados da Fortuna? Aqui é o mesmo lance.
Resultado de imagem para serie until aurora rose


Pegue Underground King's. O primeiro livro se chama Assumption e traz a história do Kenton Mayson. O mocinho é um fodão inveterado que não deixa nada a desejar para um mercenário cascudo. Se tiver que descer o cacete, ele faz. O Ken é primo dos irmãos Mayson, e muito amigo, especialmente do Nico. No livro do Nico já temos uma cena prévia do livro do Kenton. Aqui ele tem que garantir a segurança de uma ex-stripper de Las Vegas, dando abrigo em sua casa. Preciso falar que faíscas rolam? Não, neh? Mocinha super gracinha e por mais que tenha trabalhado de stripper, ela não é rodada... hihihi... na verdade... ela estuda para enfermagem... ou seja... duas fantasias masculinas em uma só. Palmas para a mocinha que ostenta outro nome weirdo... Autumn... não... não é a mina da Irmandade que pegou o Tohr...
Pra mim, até agora... um dos melhores livros. Uma coisa interessante na escrita da Aurora é que vc vai vendo a evolução da narrativa, do estilo e dos diálogos. Aqui vemos a evolução da espécie. Os machos são alfas, mas não são tão brutos e Neandertais como os irmãos Mayson. Aqui nesse livro aconteceu meu primeiro crush sério com o modelo da capa... hiperventilo toda vez que vejo...

Meu Crush. Ssshhhh...


Depois desse temos Obligation, que traz a história do Kai. O Kai parece um guerreiro havaiano, então vai na fé, irmã, e pense em Jason Momoa para dar vida ao bofe. A mocinha é irritante e um pé no saco. Embora a anterior tenha sido stripper, não deu pra geral como essa criatura daqui. Não sei porque, mas não curto muito livros onde a mocinha usa o sexo como fuga para qualquer um dos seus problemas.


Mocinha chata do caralho...

O terceiro livro, ainda não tem em português, mas eu já li. E pra mim... o melhor livro de todos. É a história do Sven, um dono de clube de Las  Vegas, super mega rico e gato pacarái!!! Vcs tem vislumbres dele nos livros dos Mayson. A mocinha é a melhor de todas!  Ela é modelo plus size, cheia de curvas e tal, super bem resolvida e com a boca atrevida... adoooooro... o Sven cai de amores loucamente por ela e a bicha dá um chá de cadeiras no manwhore mais quente de Las Vegas. Embora o Sven seja mandão, ela não come merda dele e responde à altura, mas sem ser chata e pentelha, entendem? O livro se chama Distraction.
Essa série é muito mais recheada de ação e crimes e tal... adoooooro... mas os mocinhos não fazem parte do mundo puritano de bons moços... eles matam quando precisam matar... e é com requintes de crueldade...


Resultado de imagem para serie underground king's aurora rose
Melhor casal de todos.


Daí avancemos 20 anos luz à frente.

Until Her #1 : Traz a história da July, a primeira filha do Asher e da November. Aqui entra em ação um gostosão MC, o Wes, e quem tem o Booom é a mina. Afinal, ela é Mayson. O que significa que a maldição Mayson não é exclusiva dos machos. O que significa que o Asher se fudeu... hahahahahah... o cara sofre, tadinho... vendo a filha se enroscando nos lençóis não deve ser fácil... a mocinha é sequestrada juntamente com a mocinha que será a perdição do mocinho do livro dos machos.

Until Him #1: Traz o Jax, filho do Cash e da Lilly. Ele salva a mocinha e Boooomm... pintou o fling. O cara já leva a mina pra casa dele e tchururu. Dá espaço? Muito pouco... hahahaha... é aquele lance de "espero você aceitar que é minha e pronto e acabou". É um livro bem bacana. Eu curti. Mas não tanto quanto dos King's contraventores da lei. Enfim... neste livro a mocinha tem uma filhinha de 3 anos que mais parece um pequeno Einstein. Eu juro... meus filhos nessa idade não tinham essa capacidade sinistra de diálogo que essa criança tem... mas tudo bem...

O que vem por aí: o livro da irmã da July, a June. Tô doooooida pra ler; O livro do Sage, filho adotivo do Nico e da Sophie. Tô doida no livro dele também; Também quero muito o livro do Justin, que será o #4 do Underground King's... vcs se apaixonarão pelo Justin no livro do Kenton; O livro da Ashlyn, filha do Cash e Lilly e irmã do Jax. Por que eu estou citando? Porque nos livros mais à frente, vcs conseguem traçar quais serão os possíveis casais... e a autora consegue fazer com que vc fique assanhada pelos danados.
Quem gosta de um homem mandão, possessivo, ciumento e cheio de merda na vida real? Ninguém. Mas nos livros... hehehehe... eles são mara. Então se vocês curtem essa vybe, caiam matando nesses livros que falei. É meio viciante. Você acaba querendo ler tudo de uma vez. Eu pelo menos acabei fazendo isso. Mas eu sou psica, então não sou parâmetro pra ninguém...

Bom... eu perdi a divagação antiga. Mas superei. Escrevi duas páginas a mais!!! Iuhuuuuuu!!!
Eu sei que está longo... quase um livro... hahahahah... mas vocês pediram.

Uma última coisa: Viajei em março pelo estado do Tennessee, durante cinco horas, percorrendo uma boa parte para chegar ao Texas... passei por Nashville ( que é a cidade próxima da cidade que os Mayson moram) e digo uma coisa: não vi um cowboy bonito dando sopa. Não vi um macho alfa desses por ali. Nem um sequer. Nada. Niente. Nádegas. Mó frustração eeeeveeeeer. Então... essa cidade criada pela Aurora é algo tipo Jacobsville... só existe em nosso imaginário. Pena.

Ah... a Aurora... é casada com um Seal... logo, ela tem um macho alfa em casa. Pós-doutorada nessa parada de bofe mandão. A única coisa que a difere de suas mocinhas é que eles não tem uma penca de filhos...



Bjuuuu